Arquivo da tag: nutricionista

Magro não é imortal.

O texto de hoje é sobre um tweet que foi amplamente compartilhado durante a semana e que me foi mostrado muitas vezes. É este aqui:

(foi compartilhado pela página que abertamente odeia o mundo moderno)

É a imagem de várias mulheres gordas, junto com a pergunta “o que temos em comum?”

Eu não sei qual era a resposta original, mas uma usuária do Twitter respondeu listando várias doenças. Foi um sucesso. Ridicularizar pessoas gordas é sempre um sucesso.

Eu tenho algumas ressalvas e vou dizer o que penso a respeito.

1) O que diabos é “odiar a modernidade”?

Objetivamente falando, a Idade Moderna começou na Queda de Constantinopla e terminou com a Revolução Francesa. Nos encontramos atualmente na Idade Contemporânea.

Mas com certeza não estão falando de modo literal. Normalmente quando se fala em “modernidade” se está falando sobre os progressos econômicos, sociais e tecnológicos desencadeados pela Revolução Industrial. Mas não sei exatamente como mulheres gordas se encaixam neste assunto.

Até porque gente gorda no mundo não é exatamente uma coisa NOVA

Definir o que seriam tempos modernos é historica, filosofica, social e politicamente desafiador demais. Não me atrevo. Sou apenas profissional da saúde.

Talvez seja um movimento contra a máquina a vapor que pede a volta da Terra Plana e da Santa Inquisição. E da peste negra.

Não entendi direito, mas se eles odeiam tanto a modernidade, talvez devessem enviar os próximos tweets no lombo de um burro de carga… Quem odeia modernidade evidentemente também odeia a internet.

Enfim, achei confuso.

2) Não é assim que se faz “diagnóstico por imagem”

Como eu disse, existe diagnóstico por imagem… mas ele não pode ser feito via Twitter.

A única maneira de descobrir se as mulheres da foto têm qualquer uma das condições clínicas mencionadas é fazendo uma investigação clínica com anamnese completa e análise de exames. NINGUÉM pode fazer diagnóstico apenas batendo o olho nas pessoas.

Se você tem esse poder, sugiro que junte-se à Liga da Justiça com o codinome DIAGNÓSTICOMAN

Sério.

É um poder incrível que pode fazer maravilhas para agilizar o sistema público de saúde. Estamos falando de centenas de diagnósticos por minuto!!

O INCRÍVEL DIAGNÓSTICOMAN

Ninguém pode concluir nada sobre a saúde das pessoas a não ser que sejam feitas maiores investigações.

Certo? Certo.

3) Pessoas magras podem ter TODAS as doenças mencionadas.

Existem dois grandes problemas que surgem por causa do foco exacerbado em peso e medidas como indicadores de saúde.

O primeiro deles é que isso promove uma verdadeira perseguição seguida de culpabilização de pessoas gordas, que NÃO estão todas doentes unicamente pelo fato de serem gordas.

O segundo é a total despreocupação dos magros.

A insistência da mídia em classificar pessoas gordas como obrigatoriamente doentes não só é injusto com gordos, mas também encoraja uma imensa negligência dos magros.

Hipertensão, doença cardiovascular, diabetes tipo II, artrose, pedra na vesícula, artrite, cansaço (?) e refluxo NÃO SÃO exclusividade de gordos.

Você sabia que a ideia de que somente gordos têm diabetes tipo II é um mito?

Você sabia que existem pessoas magras metabolicamente doentes?

Você sabia que a taxa de mortalidade entre as pessoas gordas que desenvolvem diabetes é MENOR?

Pensar que ser magro é sinônimo automático de ser saudável é uma falsa noção de proteção. Magros também devem se alimentar bem, se exercitar e realizar check ups periodicamente.

Doenças crônicas têm íntima relação com o estilo de vida e com genética. Usar roupas tamanho P não quer dizer nada. O que é decisivo para uma boa condição de saúde física (e mental) são as rotinas de autocuidado.

Nessa vida eu já vi várias pessoas magras reagindo com espanto ao diagnóstico das mais diversas doenças argumentando: “mas eu sou magro(a)!”

Newsflash: magro não é imortal.

A negligência dos magros é fruto de uma abordagem midiática estereotipada que não orienta que TODOS devem seguir bons hábitos de vida, e apenas ensina que emagrecer é solução (e prevenção) para todos os problemas.

Você é uma pessoa magra?

Saiba que você também precisa se responsabilizar pela sua saúde e que o tamanho do seu corpo por si só não te faz imune ao desenvolvimento de problemas crônicos de saúde.

Não existe “doença de gordo”. Existe doença. E todos estão sujeitos a desenvolvê-las.