A epidemia de Pensamento Positivo

Já tem um tempo que eu estou incomodada com esse rolê de good vibes, universo, pensamento positivo e os posts patrocinados de coaches histriônicos desesperadamente sorridentes que aparecem o tempo inteiro na minha Timeline prometendo MUDAR MINHA VIDA.

Tô perplexa com os mega-eventos de empreendedorismo de palco que são iguaizinhos aos super-cultos neopentecostais – sendo a única diferença a que “Deus” é o MERCADO.

(Poderia ser um estudo bíblico. Só que é BUSINESS)

SóÓó que eu nunca me atrevi a escrever sobre isso porque não é exatamente o tema do NSE.

Mas quando a leitora Jessica Federici me enviou ESTA IMAGEM no dia de ontem:

 positivo

A peste chegou na minha seara, então agora eu tenho carta branca para falar.

Rompeu-se o meu último fio de tolerância. I’m done.

Alguém tem que dizer que:

Pensamento Positivo é uma PRAGA na sociedade.

Eu não estou falando sobre ser otimista, bem humorado, animado e ver o melhor das coisas.

Eu estou falando do Pensamento Positivo como ideologia. E isso é ruim para as pessoas.

Parece extremo? Então elaboro.

A ideologia do Pensamento Positivo normalmente se aplica às pessoas que estão mal em algum aspecto da vida.

E o que é dito a elas é que o problema que têm (doença, desemprego, falência, divórcio etc.) é na verdade uma oportunidade para ~tomar as rédeas da sua vida~ (ou outras frases prontas do tipo). Mas a chave sempre é: mudar a sua atitude.

Para fazer sucesso, a questão não é ter conhecimentos específicos, experiência ou habilidades, mas sim: “ter uma atitude positiva“.

Se o indivíduo está num momento ruim, seja qual for o fator de angústia, a ideologia do Pensamento Positivo diz:

– Não tem problema! Seja proativo, não reclame. Seja otimista e não se permita a atitude de vitimista. Mencionei que NÃO É PARA RECLAMAR?

Estamos sendo contaminados por um padrão de otimismo mandatório. Só tem possibilidades de sucesso na vida quem adota uma postura de bobo alegre.

*Vale lembrar que este fenômeno é nítido no mundo corporativo, mas se aplica também à saúde e ao EMAGRECIMENTO (“força de vontade”, “escolhas”, “quem quer consegue”...)*

(Poder da Mente)

Mas qual é o problema de pensar positivo e ser otimista?

R: Nenhum!!

A parte de tudo isso que pode ser ruim para você é a propagação do pensamento mágico de que você pode modificar o mundo físico e as circunstâncias ao seu redor com o poder da mente. É uma suposta “força” que, quando corretamente aplicada, traz as coisas que você quer – tipo, CEM MIL DÓLARES.

(Mulheres, automóvel, mulheres, iate, mulheres, mansões)

E existem muitos jeitos de ‘explicar’ essas teorias. Desde o magnetismo (sua cabeça ficou grudada na geladeira, ultimamente?), a física quântica ou o ridiculamente ABSTRATO “Universo”.

Mas é ruim acreditar que os nossos pensamentos positivos podem mudar o mundo?

É ruim acreditar que devemos sempre enxergar o melhor ângulo de cada situação?

É ruim acreditar que podemos evitar coisas ruins não pensando nelas?

Pode ser ruim SIM, com toda certeza!!

Porque dentro da dinâmica do Pensamento Positivo, todas as pessoas se forçam a enxergar os problemas concretos com a lente febril da negação. Quando alguém tenta alertar sobre algo que não está bem, sofre uma esmagadora censura: “não adote a postura dos derrotados. Apenas pense positivo, tenha foco e pratique a gratidão.”

Foco, força, fé e gratidão são justamente as palavrinhas do momento, não?

Não é permitido analisar o ônus dos fatos. Somente o bônus. E se você levanta a hipótese do que pode NÃO dar certo… então buuuuuuuuuu para você, porque isso não é mindset de gente proativa.

Focar em apenas um lado da moeda – o bom – é ignorância compulsória.

“Se você não pensar coisas ruins, elas não irão acontecer” é uma falácia pincelada com misticismo que se tornou nosso padrão de pensamento em absolutamente todas as esferas da vida […E se você não pensa assim, DEVERIA]

1-pensamentosnegativos

(POSITIVE é a LEI)

A epidemia de Pensamento Positivo faz com que as pessoas enterrem questões arriscadas, problemáticas ou difíceis embaixo do tapete. Pessoas que socam problemas e aflições em buracos profundos podem ter colapsos quando chegar o inevitável momento do enfrentamento. Este é um dos motivos pelos quais ser obrigado a ser good vibes pode causar mal para as pessoas.

Não existe somente o positivo e o bom no mundo. Tentar tornar isso verdade com o “poder da mente” é a ferramenta com a qual a nossa sociedade hedonista e líquida (Bauman) cava a própria cova:

precisamos ter estrutura interna para encarar a dor e a frustração de frente. Mas a ditadura das good vibes do universo não deixa.

A tristeza é um sentimento que (como todos os outros) chega, permanece e vai embora. Se você BLOQUEIA todas as vezes que ela vem… então ela não irá embora nunca.

Outro problema da ditadura do good vibes: é cruel.

É uma grande sacanagem apontar o dedo para uma pessoa que está vivendo dificuldades severas por qualquer motivo e dizer que é tudo “coisa da cabeça” e nada como um pensamento positivo-disruptivo para fazer o jogo virar. Basta mudar a atitude!

Outra falácia: “Não há nada de ruim que aconteça com você, que não tenha sido atraído por causa da sua mente fatalista. A responsabilidade é inteiramente sua.”

Rhonda Byrne, autora de O Engodo Segredo, certa vez afirmou que as vítimas do tsunami na Indonésia em 2006 poderiam ter se poupado da tragédia, se tivessem “vibrado em outra frequência”

Considerando o recente evento da maior tragédia do esporte brasileiro, não preciso tecer maiores comentários sobre o quanto tais afirmações são absurdas e não são de bom tom.

Não me entenda mal… A questão não é ser pessimista e acreditar que tudo vai dar errado. Porque isso pode se tornar extremo também!

Mas a tirania do good vibes não permite que as pessoas analisem as situações com objetividade.

Sabem OUTRO problema?

A culpabilização do indivíduo!

Uma vez que o Estado falha miseravelmente em conter colapsos econômicos e estatísticas recorde de desemprego… tirar o corpo fora e jogar a responsabilidade na cabeça de cada cidadão é uma ideia ÓTIMA.

Você não consegue um bom emprego porque não sintoniza com o universo.

Você não ganha mais dinheiro porque é muito pessimista.

Você foi mandado embora porque não foi proativo.

Seu empreendimento degringolou porque a liderança não foi arrojada.

A avalanche de palestras,coaches, empreendedores pop-stars e livros de autoajuda sobre a rota para o SUCESSO estão aí não para ajudar, mas para jogar um pesado fardo nas costas de cada cidadão:

Quem QUER, consegue. Basta ter força de vontade e ir atrás. Você não arrecadou seu primeiro milhão? Não alavancou um negócio de sucesso? Não conquistou a independência financeira? Não realizou seus sonhos?

…Culpa sua. Inteiramente SUA. Porque você tem crenças limitantes que não vibram com o universo.

(DESSE JEITO)

O problema não é a desigualdade social. Nem o nível de instrução. Nem a saturação do mercado. Nem a inflação. Nem o mito da meritocracia. Nem todos os fatores externos que influem na história da sua vida.

O problema é a sua atitude. Pare de reclamar. E permita-me ressaltar que você não tem motivo algum para se revoltar. Quem está no topo é porque simplesmente correu atrás.

Claro que o mesmo fenômeno também se aplica à área da saúde, uma vez que a saúde não é mais vista como um direito de todos, mas sim como uma responsabilidade pessoal. Então se a pessoa fica doente, todos os fatores econômicos, políticos e sociais envolvidos no problema são descartados e entende-se que a pessoa simplesmente não quis construir uma vida melhor. É o Sistema A-CULPA-É-SUA de Saúde.

Nós possuímos poder. Poder coletivo que poderia ser usado para DE FATO construir um mundo melhor. Mas a Ditadura do Pensamento Positivo nos divide em seres isolados mandando vibrações mentais genéricas para obter vantagens do Universo, que supostamente são nossas por direito.

OTIMISMO é uma forma de controle social. E dos mais perversos. Porque se você está à mercê da tirania do good vibes, não pode enxergar. E se enxerga, tem que parar de reclamar.

Pensamento positivo é um problema social disfarçado de boom de “desenvolvimento pessoal”

NUNCA escrevi um único palavrão aqui no NSE.

Mas good vibes é o caralho.

 

 

 

 

Anúncios

23 ideias sobre “A epidemia de Pensamento Positivo

  1. Flávia Soares

    AAAAI MEU DEUS FINALMENTE ALGUÉM QUE CONCORDA COMIGO! Desde sempre, sempre mesmo, desde criança achava uma palhaçada quando alguém tinha um problema e mandavam essa de “pense positivo” e blá blá blá, gente, temos que pensar em soluções racionais, com bom senso, não esquecer que o problema existe e nos iludirmos. Recentemente tive uma crise depressiva devido o término de um rolo, e no desespero, sem encontrar quem me compreendesse busquei ajuda com uma pessoa que é cheia dessas good vives aí, vivia mandando aquelas mensagens motivacionais e eu odiava. Mas naquela situação eu estava mto fragilizada, então acabei desabafando com essa pessoa que nem conhecia pessoalmente. Resultado: funcionou no começo, pq ouvi coisas reconfortantes, mas logo logo começou essa pressão aí de “pare de reclamar, não vale à pena, vc é mais forte do que pensa”, e mandando esses textos desse tipo aí q vc falou milhares de vezes por dia, coisas que acabavam me fazendo lembrar do relacionamento que eu perdi… Tava me estressando, acabei dando um fora (acho que ele estava aproveitando pra dar em cima de mim inclusive, mas não tenho certeza), fiquei até com remorso depois mas acho que foi melhor assim. Falava exatamente como vc disse aí em cima, cheio de frases prontas e blá. Imagine isso pra quem está deprimido. Enfim… Sei que escrevi muito, hehe mas amo suas ideias, OBRIGADA de coração por existir! Queria te conhecer ❤

  2. Jessica

    Ai, Paola! Você é minha melhor amiga e não sabe. Ops, agora sabe 🙂 Que bom que você é desse jeitinho e divide com a gente. Texto excelente.

Os comentários estão desativados.