O segredo para a felicidade

Texto da Thaiana Vaz Cutini, psicóloga parceira do NSE e autora do Blog “Mulheres que Se Transformam“:

Queremos mais. Desejamos mais.

A felicidade geralmente é atribuída a um futuro onde teremos mais. Mais dinheiro, mais bens, mais possibilidades.

Achamos que a felicidade é ser como a Megan Fox (por isso coloquei a foto dela aqui. Pra quem não sabe ela é uma atriz americana): Linda, magra, dentro dos padrões, com um maridão bonito e filhos lindos, com dinheiro.

Pare um pouquinho.

Vamos fazer um exercício rápido?

Quero que tire só 3 minutinhos, pare o que está fazendo e pense: o que me deixaria feliz agora? Pode ser que tenha vindo à sua mente um cochilo, um cafezinho…

Agora se pergunte de novo: o seria definitivo para a sua felicidade a longo prazo?

O que te faria feliz definitivamente? Pensou?

Permita que venham à sua mente as imagens do seu futuro ideal, sua vida feliz. Como ela é?

(Humilde residência da Britney…)

Garanto que você pensou algo como “ah, quando eu tiver mais dinheiro vou comprar __________”  insira aqui seu sonho de consumo.

Aquela roupa chique, aquela ida ao salão maravilhosa, aquele carro, aquela casa, “vou ter o casamento dos sonhos naquele cerimonial chique ou na igreja tal.”

Não se sinta só, a maioria de nós pensamos como seremos felizes quando chegarmos lá.

: aquele lugar tão abstrato quanto a ilha de Lost. (alguém lembra desse seriado?)

(Eles estão LÁ.)

Mas na verdade o que costuma acontecer é que esse “lá” nunca chega, ou quando chega não nos gera essa tal felicidade definitiva.

Quando conseguimos o aumento, queremos a promoção, depois queremos a chefia. Quando trocamos de carro, pensamos no próximo, que será melhor, e assim segue.

A realidade é que quanto mais coisas você tem, maior a sua responsabilidade, maior o medo. Mais você tem que trabalhar ou alguém tem que trabalhar pra poder manter o padrão, logo, mais preocupado você fica e mais dependente.

Eu NÃO estou dizendo com isso que não devemos querer melhorar nossa situação econômica, trabalhar e ganhar mais dinheiro, comprar uma casa legal nem ter um carro bacana.

Não é esse o ponto.

O que eu digo é… você não precisa disso pra ser feliz.

A felicidade não é necessariamente a vida da Megan Fox.

Sabe aquela máxima “menos é mais“? Ouvimos essa frase muito atribuída à moda (alou Betty, a feia)… mas ela quer dizer muito mais.

Sabe qual é o segredo pra felicidade? É a simplicidade. É menos, e não mais.

Felicidade é:

Fazer o que você pode com o que você tem, agora.

Ter sonhos para o seu futuro e ter desejos que não dependam só de bens materiais.

A felicidade pra você pode ser morar em uma ilha deserta ou trabalhar com idosos, pode ser ter um relacionamento amoroso ou formar uma família.´

Mas principalmente: ela é única. Ou seja, o que te faz feliz não é necessariamente o que me faz.

Finalmente: Não existe fórmula mágica pra ela.

Achamos que pra sermos felizes precisamos seguir um script.

Então lá vai você se matar de trabalhar, muitas vezes fazendo algo que não gosta pra pagar suas contas. Justo, afinal, temos que sobreviver e dinheiro é a nossa ferramenta principal.

Mas será mesmo que você precisa de tanta coisa?

Celular novo todo ano, aquela blusa nova, aquele sapato que estava na promoção com 60% do preço? Será que as coisas que nós possuímos não nos possuem no final? (Clube da Luta vibes.)

O estresse é inimigo da felicidade. Quanto mais estressados e tomados por essa corrida desenfreada por mais (mais consumo, mais tranqueira) menos podemos ver o que de fato melhora nossa vida e nos traz alegria.E no geral são as pequenas coisas que proporcionam uma alegria muito mais duradoura.

Você pode estar pensando ‘ah, mas eu conheço gente estressada que é feliz’, “gente rica é feliz sim, olha só fulano e ciclano“, “com certeza eu seria mais feliz se tivesse mais dinheiro“.

Olha, sinceramente: duvido muito.

Você pode até conhecer pessoas que vivem estressadas possivelmente porque trabalham demais e têm um bom conforto material e ganham muito dinheiro. Daí você conclui, muito apressadamente, que essa pessoa é feliz porque tem as coisas que você gostaria de ter. O carro que você gostaria, a casa, as roupas…

Te digo uma coisa só: algumas dessas pessoas podem até estar felizes quando não estão estressadas, nesses raros momentos. Mas não é o dinheiro que torna alguém feliz, necessariamente.

(Será um closet recheado a saída??)

Duvida?

Se fosse o caso atrizes famosas, modelos ou bilionários não teriam depressão ou se suicidariam.

Se fosse o caso não veríamos pessoas pobres que se julgam felizes.

E sabemos que ambas as situações existem.

Não me leve a mal! Dinheiro pode ajudar e muito, com a máxima certeza. O problema na verdade é que a nossa sociedade capitalista fez uma baita lavagem cerebral pra nos fazer acreditar que a felicidade depende exclusivamente de dinheiro. Com isso não estou dizendo pra você sair fazendo voto de pobreza por ai (a menos que queira é claro!), nem estou dizendo que dinheiro é algo ruim. De maneira alguma.

Estou dizendo que para ser feliz precisamos de muito mais que só um papel.

Precisamos estar equilibrados e relaxados, focados nos aspectos positivos da nossa realidade e alinhados com nosso propósito de vida, na medida do possível.

Agora eu até imagino que você está pensando: okay, entendi. Mas como eu faço isso então?

…Não faço a menor ideia!

Como eu não sou nem um pouco sacana e adoro ser didática, no artigo da semana que vem vou falar sobre isso! Não se preocupem 😉

Por hora fiquem com essa reflexão: o que é felicidade pra você? De verdade?

Importante: Algum nível de estresse é saudável e nos leva à ação.Não estou falando de eliminar totalmente o estresse pois isso não é possível e mesmo se fosse, duvido que seria algo saudável. Estou falando sobre o desnecessário, aquele que só serve pra nos desgastar e paralisar.

=)

 

 

Anúncios