VOCÊ É VICIADO EM COMIDA??

Te pesquei com o título? Ótimo!

Então por favor fica aqui. E lê o texto.

Ciência inconclusiva, redes sociais & senso comum é uma tríade IMPOSSÍVEL de combater. Não tenho essa pretensão. Mas eu sou uma pessoa insistente então nós precisamos falar sobre o mito do “vício em comida“.

Recentemente, uma garota viralizou nas redes sociais dando um relato (que nunca saberemos se foi trágico ou cômico) sobre ser viciada em comida. Não é difícil de encontrar, e eu me recuso a reproduzir aqui,

Eu fiquei muito chateada ao testemunhar o vídeo sendo compartilhado em escala geométrica, angustiada diante do boom de desinformação que foi formado. Todo mundo rindo e ironizando o gosto amargo da culpa que [infelizmente] todos carregam na boca.

Eu já falei sobre isso anteriormente, mas é meu dever falar novamente.

POR QUE NÃO É CORRETO DIZER ‘VÍCIO EM COMIDA’?

Na tarde de hoje, Hypeness fez o desfavor de publicar uma matéria com o título: “O vício em comida existe e é um assunto sério

(Obrigada, portais populares)

Tá.

Assim que você clica na notícia, percebe que eles estão falando sobre a problemática da compulsão alimentar.

A compulsão alimentar é um transtorno alimentar muito grave que causa sofrimento na vida de milhares de pessoas. Sim!! É.

A compulsão alimentar é um transtorno dentro do qual a pessoa sente uma sensação de descontrole diante da comida e consome um grande volume de alimentos num espaço curto de tempo, de modo muito ávido, com crises que podem ocorrer duas ou mais vezes por semana.

Acontece que compulsão não é vício. É um comportamento de natureza obsessiva.

Compulsão é: um comportamento repetitivo que se apresenta de forma freqüente e excessiva.

Ué, mas um comportamento recorrente em nome de gratificação emocional não pode ser chamado de vício? Sim.

A lambança ocorre quando: o conceito de comer compulsivamente mistura com vício em substâncias.

Álcool, cocaína, nicotina, anfetamina, heroína… são substâncias que promovem modificações orgânicas e dependência física. É um vício bioquímico. E uma interrupção abrupta no uso da substância em questão pode provocar grave crise de abstinência podendo ser, inclusive, fatal.

Só que comida não é droga.

Aaaah, mas estudos mostram que comer determinados alimentos ativa partes do cérebro associadas ao uso de drogas! É o sistema de neurotransmissão de dopamina, denominado sistema mesolímbico-mesocortical. É o sistema de recompensa do sistema nervoso central, todo mundo sabe disso!

Lembra o que eu falei ali em cima sobre ciência inconclusiva?

A hipótese do vício em comida, nem de longe, foi elucidada.

O cérebro pode ser estimulado por qualquer recompensa: chocolate, sexo, filmes, compras ______________ (preencha aqui uma coisa que você gosta)

SIM, é recompensador.

SIM, é agradável.

SIM, dá vontade de fazer de novo.

Mas isso não diz nada sobre as coisas serem viciantes.

O que faz uma pessoa ser “viciada” em doces é o fato do doce ser gostoso. Não é dependência DE DOCE. É dependência de prazer.

Existe uma nítida diferença entre:

Vício em comida e vício em COMER.

Por que fazer essa distinção é importante?

R: porque enquanto a pessoa que sofre de compulsão alimentar segue acreditando que o problema está NA COMIDA, ela continua totalmente impotente diante do seu transtorno.

Uma pessoa “viciada em comida” não tem escolha, é uma eterna refém da comida que desencadeia um descontrole dentro dela.

Só que o problema não está na comida. Está na pessoa.

vicio

O quadro da compulsão envolve inúmeros fatores físicos, psicológicos, afetivos, emocionais, cognitivos… Envolve também as crenças que a pessoa tem sobre si mesma e sobre os alimentos.

O tratamento para transtorno alimentar não é igual ao tratamento para drogadição.

É muito tentador acreditar numa visão de mundo totalmente simplista e maniqueísta, na qual nós somos o público inocente, vítima das perversas corporações alimentícias que adicionaram substâncias viciantes na nossa comida.

Só que as coisas não são assim. Não existe explicação simples ou um “vilão” que causa todos os nossos problemas (o açúcar, a gordura, o glúten, o ciclamato, o glutamato monossódico, os carboidratos, o sódio, a lactose ou sei lá o que!)

Comida não causa modificações no funcionamento normal do organismo e não causa dependência.

(COMIDA não pertence ao conjunto)

Ou então pense no seguinte: nós comemos. Após um certo período o nosso corpo entra em um estado de angústia (também conhecido como “fome”)… E em seguida comemos novamente.

…Portanto #SomosTodosViciados.

O fato desse vídeo ter viralizado diz muito sobre nós e a maneira que nos relacionamos com a comida: mitos, crenças errôneas, medo de engordar, dicotomia entre “do mal” e “do bem” e uma reação exacerbada contra coisas totalmente NORMAIS e orgânicas como o apetite e o prazer de comer (se uma pessoa come e gosta, ela tem que ser punida).

(O SENTIMENTO DE CULPA é um motor muito mais potente do que qualquer substância ~viciante~ que exista na comida)

Você não precisa “ser fitness” (?), não precisa abrir mão das coisas que você gosta, não precisa passar fome, não precisa embarcar numa cruzada em busca de um corpo impossível e idealizado.

Sabe qual é o verdadeiro vício? Nosso jeito insensato e desequilibrado de viver.

 

Anúncios

2 ideias sobre “VOCÊ É VICIADO EM COMIDA??

Os comentários estão desativados.