A terrível maçã do governo de São Paulo.

Vou falar nada sobre o nosso deslumbramento por uma tradição que não nos pertenceNeste vespeiro não mexerei.

Vou falar sobre uma imagem que recebi hoje:

Uma maçã perversa cobrando que você escolha “ser saudável” no Halloween.

Pensei que fosse mais alguma besteira de alguma nutricionista ou blogueira no Instagram. Mas então, para o meu horror, identifiquei a autoria: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

governo

(“SE VOCÊ NÃO SE ALIMENTAR BEM, VOCÊ VAI MORRER MWAHAHA”)

Isso é TÃO controverso, TÃO errôneo e TÃO ridículo, que a minha cabeça começou a rodar.

Já falei aqui sobre este nhenhenhém para ser saudável nas datas comemorativas que envolvem comida (no caso, foi a sacolinha de doces no dia de Cosme e Damião)

Nutricionistas/médicos/blogueiras/”coachs”/autoridades que sugerem versões ~saudáveis~ de iguarias típicas, culturais e tradicionais:

Isso é a coisa mais xarope do mundo.

Informar e educar sobre alimentação não é só ficar batendo na tecla da “comida de verdade” e do “eat clean” o tempo inteiro. Todos os dias. Em absolutamente todas as circunstâncias.

(Em oposição à tal da ~comida de verdade~, esta é a comida de mentira)

Páscoa? Cosme e Damião? Halloween? Meu Deus, como lidar?!

R: NÃO LIDA, só come o bendito doce!

Ninguém fica obeso porque passou uma tarde ou duas comendo doces.

Ninguém fica doente porque passou uma tarde ou duas comendo doces.

Ninguém vai morrer porque passou uma tarde ou duas comendo doces.

Ninguém vai desenvolver uma doença crônica porque passou uma tarde ou duas comendo doces.

É evidente que a exceção não pode se tornar regra e que comer montes de doces todos os dias não faz bem para o estômago, o corpo e os dentes. Sabemos disso.

Mas o público não é besta (nem as crianças, nem os adultose ninguém vai se contentar com a troca de balas, pirulitos e delicados por macadâmias, picolé de gelo e biscoito de arroz. Essa proposta não faz nem sentido! Não tem nexo.

guloseimas

Agora sobre a pergunta: “frutas ou gorduras“?

Lipofobia detected.

O questionamento está partindo da premissa de que gordura é ruim e ponto final. Não poderia ser mais inverídico.

Gordura não é uma “substância do mal” que existe para desgraçar as nossas vidas. Do contrário, não a teríamos.

A gordura: regula a temperatura corporal, protege contra choques mecânicos, participa da síntese de hormônios importantes, é crucial para a saúde reprodutiva feminina, é veículo de transporte e absorção das vitaminas A,D, E e K e além disso o tecido adiposo é um órgão endócrino complexo, que regula inúmeras funções fisiológicas, entre elas o apetite e o volume de ingestão. Nos alimentos, é realçador de sabor e promove a saciedade.

O consumo de gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas é fundamental para a manutenção do organismo. É fator protetor para a saúde do coração, equilibra o perfil lipídico sanguíneo e preserva a imunidade.

No mais:

A maioria dos doces que as crianças ganham de presente no Dia das Bruxas são compostos de açúcar (balas, pirulitos, jujubas…). É o tipo de guloseima que chama-se de “candy“. Leia aqui sobre a composição de boa parte deles. Não tem gordura.

(Açúcar, xarope de milho, amido e gelatina)

Saúde significa MUITO MAIS do que trocar doce por fruta. Saúde é uma questão biológica, genética, psicológica, social e até política. Incontáveis fatores são determinantes na construção da saúde dos indivíduos, como: nível de instrução, poder aquisitivo, localização geográfica, condições de saneamento, acesso aos serviços de saúde.

Então muito me admira o GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO publicar essa besteira.

“Ain, isso é só brincadeira” – Ah, nem!!!!!

Além de todo o senso comum lipofóbico e simplista, a imagem culpabiliza o indivíduo:

Nós, O Estado, estamos tirando o corpo fora e VOCÊ que se cuide.

dever-do-estado

(Y)

O sistema público de saúde é caótico, as doenças crônicas estão crescendo vertiginosamente, existem inúmeros trabalhadores sujeitos à condições insalubres, falta posto de saúde, faltam médicos, faltam medicamentos, faltam hospitais, falta saneamento… Mas ~HAHAHA COMA FRUTAS~.

Por favor.

Muito provavelmente a troca da tradicional abóbora por uma maçã, fruto que simbolicamente representa o pecado, a culpa e a corrupção humana, não foi intencional. Mas também dá o que pensar.

 

Anúncios