Dia mundial de humilhar gordos.

(Hoje tem pedradaaa xD…)

Hoje de manhã eu já fui devidamente informada de que hoje é o dia 11 de outubro: dia mundial do combate à obesidade de postar bobagem e humilhar gordos.

Então se eu (nutricionista que sou) fosse seguir o status quo, meu dever seria postar uma pessoa caucasiana genérica que não precisa emagrecer comendo muitos vegetais + um blablabla qualquer sobre ~SAÚDE~.

imagem-generica(pessoa caucasiana genérica que não precisa emagrecer comendo muitos vegetais)

Eu passei a tarde refletindo qual é O PONTO disso, sendo que eu não vi uma única imagem que possa ajudar alguém.

Acompanha o show de horror:

combate-obesidade

(“Pessoas magras são automaticamente saudáveis. A gordura é DO MAL e não sabemos por que ela existe no corpo. Ou porque o organismo a acumula.”) 

(A terrível calça-gigante-vazia)

(“Parece que o jogo virou, hein maldito gordo guloso?”)

(“Diga não à obesidade ao obeso!!”)

Sério, gente. Que horrível.

Aí no meio disso tudo, também tem o: OBESIDADE – EU TRATO COM RESPEITO.

(Ué!)

Buenoé fundamental tratar a obesidade e as pessoas obesas com respeito. Eu concordo.

Mas gente, isso não é mais que a obrigação de todo cidadão… Precisa ser dito?

Existe a opção “eu trato com desrespeito“? Tem umas coisas que eu me esforço, mas não entendo.

Dizer “eu trato a obesidade com respeito” é tipo:

– Eu paro no sinal vermelho.

– Eu não pulo a catraca do ônibus.

– Eu não roubo troco.

– Eu não estaciono em vaga destinada aos idosos.

– Eu não furo fila.

São coisas ELEMENTARES. Não merecemos biscoito por isso.

E tem outra coisa: me desculpe, sociedade… mas eu não aceito a palavra “obesidade” assim,  jogada ao vento.

Quem é essa pessoa obesa?

É criança, adulta, idosa? Mulher ou homem? É fisicamente ativa? Como costuma se alimentar?

Assumir que todo obeso está doente é uma conclusão estereotipada e simplista.

(Um fisiculturista e uma pessoa gorda podem ter exatamente o mesmo índice de massa corporal)

“Aah, mas o obeso é uma BOMBA-RELÓGIO, ele não está doente agora, mas pode ficar doente a qualquer momento.”

Ai, colega… é sério isso?

O obeso é uma bomba-relógio“, disse pessoa magra que:

– pode ter mal de Alzheimer;

– pode ter doença de Parkinson;

– pode ter câncer;

– pode ter dengue;

– pode ter hepatite;

– pode ter inúmeros tipos de doenças autoimunes;

– pode ENGORDAR (pois é, migo… você tem bola de cristal?) e se tornar uma ~bomba relógio~ também.

Na verdade, tanto eu como você podemos estar andando na rua e tomar um super COFRE ACME na cabeça.

(Então deu desse papo.)

Estou celebrando a obesidade, defendendo uma anarquia alimentar, dizendo que as pessoas não deveriam cuidar da própria saúde?

R: É EVIDENTE que não. Por que eu faria isso?

Mas deveríamos nos preocupar menos com a corpulência das pessoas e nos preocupar MAIS com:

– Pré-diabetes;
– Diabetes tipo II;
– Esteatose hepática;
– Hipercolesterolemia;
– Hipertrigliceridemia;
– Hipertensão;
– Cardiopatias;
– Síndrome metabólica.

ESTES são problemas de saúde legítimos que devem ser, sim, prevenidos. E não: nem todo obeso apresenta um, dois ou mais destes problemas.

“Ah, mas o aumento da circunferência abdominal indica síndrome metabólica!”

R: Ok, mas lembre que nem toda pessoa classificada como “obesa” apresenta acúmulo de gordura abdominal (na verdade, para ser obeso, basta ser grande e pesado)

Você é uma pessoa obesa que padece de problemas de saúde? Então vou tentar fazer MAIS do que publicar uma imagem genérica cheia de verduras:

  1. O seu problema não é irreversível, permanente, uma sentença ou um destino. Modificações no seu comportamento e na sua alimentação podem melhorar muito a sua saúde. Não é uma simples questão de “força de vontade” ou “fazer uma escolha”, longe disso! Mas a sua condição tem tratamento, não tenha dúvidas!
  2. Se você precisa emagrecer, saiba que isso é perfeitamente possível e você CONSEGUE. Mas é um processo moroso, trabalhoso, gradual  e repleto de altos e baixos. Não acredite em mágica. Se a proposta que te fizeram (um medicamento, um produto alimentício ou uma dieta) parece “bom demais para ser verdade”…fuja.
  3. Se você está cogitando a cirurgia bariátrica, reflita MUITO sobre a questão. Entenda todas as questões envolvidas no pós-operatório e avalie se você tem condições de lidar com as mudanças. Tenha sólido suporte psicológico e nem sonhe em engordar de propósito só para se submeter ao procedimento – a bariátrica não é solução para problemas emocionais ou de autoestima.
  4. Você tem valor HOJE. Exatamente como você é. Você certamente pode emagrecer se precisar ou quiser, mas entenda que isso não pode ser como uma carteirinha de autorização para habitar o mundo. Exija respeito. Ninguém tem o direito de te diminuir pelo fato de você ser gordo. Você é uma pessoa especial, talentosa e digna HOJE. E você merece felicidade e uma boa autoestima HOJE. Muitas pessoas acreditam que se você começar a se tratar com mais gentileza, isso significa “se abandonar” ou ser comodista. Isso não é verdade. Grave isto: não é mudando que você vai se aceitar. É se aceitando que você vai mudar. Se você não se gosta AGORA, dificilmente irá se gostar se for mais magro.

Depois de passar o dia refletindo sobre o significado desta data, e em como isso [não] ajuda as pessoas, só posso concluir que precisamos urgentemente repensar o entendimento que temos sobre saúde.

 

 

Anúncios

Uma ideia sobre “Dia mundial de humilhar gordos.

Os comentários estão desativados.