Não fale mal da sua comida.

Vamos falar sobre palavrinhas aparentemente inocentes que causam um problemão?

São muitas as vezes em que eu leio ou escuto gente chamando determinados tipos de alimentos de lixo, porcaria, besteira, “gordice”… Quase todo mundo faz isso e a gente acaba repetindo sem pensar, mas hoje eu vim falar porque você deveria parar de insultar a comida (e a você mesmo, como consequência por ter comido…).

Isso não é uma birra minha. Na verdade é uma coisa muito importante que certamente poderá melhorar muito a sua relação com os alimentos a partir da simples decisão de parar de falar desse jeito.

(“Comida boa” versus “comida ruim”: pensamento dicotômico e maniqueísta que cria um campo de batalha entre os alimentos e te deixa atordoado no meio do fogo cruzado)

Mas Paco, qual é o problema com essas palavras?

Vem. Vamos analisar as palavras que são usadas para falar sobre doces, frituras e alimentos industrializados em geral:

1) Lixo (ou ‘junk-food’)

LIXO é: matéria orgânica deteriorada e imprópria para o consumo humano e que pode causar doenças infecto-contagiosas.

Enquanto eu escrevo este texto, e enquanto você o lê, existem pessoas que estão de fato se alimentando de lixo.

(Não é exatamente a mesma coisa que a refeição de R$30,00 que você compra no shopping, né?)

Reflita um pouco mais, e não chame alimentos de “lixo”.

Outra coisa a respeito do uso dessa palavra é a tremenda confusão cognitiva que ela causa!

  1. Você batiza o alimento de “lixo”.
  2. Em seguida você INGERE o alimento que você chamou de “lixo”.
  3. E depois você ADORA este lixo que engoliu.

Estranho, né?

Você é o tipo de pessoa que fornece lixo ao próprio organismo e ainda por cima, gosta muito disso. Você só pode ser maluco!

2) Porcaria

Mesmo princípio do lixo.

Sabemos que não é bem assim, mas o porco é um animal que carrega o estigma de ser impuro e sujo. A civilização ocidental relaciona o porco com valores negativos: o porco é muito pouco seletivo e é conhecido por “comer qualquer coisa”.

‘Porcaria’ é lavagem dos porcos. E comer porcaria faz de você um porco. E dizer ao seu filho que a comida que você está ofertando é porcaria faz DELE um porco.

…E o seu filho inevitavelmente irá pensar “puxa vida, a mamãe me ama, mas ela está me dando porcaria!” – confusão cognitiva novamente!

3) Besteira

Me diz por que a besteira não deveria ou não poderia ter um papel nas nossas vidas?

Nossa sociedade é muito pragmática e utilitarista. Tempo é dinheiro, e se você faz algo que fuja do conceito de produtividade você está sendo inútil.

Ou seja: você não deveria comer coisas lúdicas e recreativas. Somente o que é nutritivo e FUNCIONAL.

Deveríamos ter uma melhor relação com a besteira e permitir que ela também faça parte da nossa rotina, mas infelizmente as pessoas comem a tal da “besteira” e se sentem terrivelmente culpadas, chegando ao ponto de pedir perdão ao mundo nas redes sociais.

(“HOJE PODE mas amanhã eu vou compensar, vejam bem eu normalmente me alimento super bem mas eu dou umas escapadelas de vez em quando, eu sou super OK com isso mas eu estou aqui me justificando para vocês porque na verdade eu não vou conseguir colocar a cabeça no travesseiro por ter furado a DIETA…”)

Pois faça umas besteiras! Qual mal tem?!

4) Gordice

A pior, definitivamente.

“Gordice” é uma palavra preconceituosa porque remete ao [suposto] comportamento de pessoas gordas:

O gordo só come guloseimas o tempo todo, portanto comer guloseimas é se assemelhar ao gordo e o nome disso é “gordice”

dica-nutri

Assumir que magros só comem alimentos taxados como “saudáveis” enquanto que os gordos se voltam para as “gordices” está MUITO LONGE de ser verdade.

Além de tudo, a palavra serve para justificar um comportamento que acarretaria reprovação social:

“Olha, eu estou cometendo uma gordice, mas eu NÃO SOU gordo, ok? Foi só dessa vez.”

Tradução: “ser gordo é uma coisa terrível, não me associem com isso.”

= reforço de estigma.

Outra coisa: a palavra gordice faz pensar que existem alimentos que engordam. Mas acontece que os alimentos NÃO engordam (é sério!!) – o que define se uma pessoa vai engordar é a quantidade e a frequência do consumo do alimento, além de INÚMEROS outros fatores como idade, sexo, nível de atividade física, tava metabólica, questões hormonais, nível de estresse, sono etc etc etc

Você não vai engordar porque comeu um hambúrguer. Ou uma sobremesa.

Por tudo isso, devemos chamar os alimentos pelo o que eles são:

  • Doces
  • Frituras
  • Salgadinhos
  • Fast food
  • Hambúrguer, batata frita, sorvete, biscoito, pizza, pastel, bolo, coxinha etc.

Se você cria uma dualidade na sua cabeça, você cria a possibilidade de erro. Se você comete um erro, você sente culpa… e a culpa vai te levar a inúmeros comportamentos alimentares desajustados e cada vez mais ansiedade.

E tudo isso pode levar a sérios transtornos alimentares!

Portanto, pare de falar mal da sua comida!

 

Anúncios