Sobre o dia 31 de Agosto

Antes que eu comece a revirar os olhos com tudo o que vai acontecer nas redes sociais amanhã (assim como acontece todos os anos), eu resolvi postar hoje sobre o dia 31 de Agosto – O dia do Nutricionista.

Eu deveria me sentir super lisonjeada, e encher os olhos d’água porque as pessoas postam frutinhas acompanhadas de frases toscas do tipo:

“Nutricionista é aquele que nutre ideias, alimenta sonhos e pesa os prós e contras.”

Na realidade eu acho tudo isso meio whatever, mas eu sou nutricionista e tenho uma certa visibilidade, então talvez eu deva escrever.

Eu tenho certeza que amanhã veremos ESTA FIGURA HORRÍVEL pipocando sem parar no Facebook:

Anatomia nutri

(E eu também tenho certeza que amanhã também irão me marcar nessa porcaria)

– Calculadora de dieta embutida;

– Adipômetro acoplado;

– Inseparável fita métrica;

– Superolho-leitor-de-informações-nutricionais;

– Balança integrada:

ISTO É UMA NUTRICIONISTA.

…E ISTO É UM MONSTRO DO POWER RANGERS.

E sinceramente? Não vejo diferença.

Se quando eu digo qual é a minha profissão o público imagina uma mulher magra enlouquecida que cospe informação nutricional, dá broncas e ainda por cima belisca as pessoas… Eu prefiro nem dizer nada. Não quero ser essa pessoa.

Eu acho que esse monstro ali de cima é um fruto da sociedade dentro da qual nós estamos inseridos: obcecada com o corpo e com a comida. 

Eu não conseguiria falar em um único texto sobre a crise vivida por multidões de pessoas, que encontram um dilema toda vez que estão diante da comida:

Eu não deveria ter comido isso.

Eu não deveria ter comido tanto.

Eu não deveria ter comido agora.

...Eu não deveria ter comido.

Todas essas sensações estão fundamentadas na culpa. É difícil viver em um mundo que nos lembra constantemente de que nós não fomos capazes de dominá-lo. Nós subordinamos ecossistemas e espécies aos nossos caprichos, mas a natureza nos lembra, a cada ronco no nosso estômago, que para continuarmos a habitar no mundo, nós precisamos comer parte dele.

Dentro da nossa cultura, é horrível não ter domínio sobre um corpo que existe por conta própria, contra a nossa vontade e que manifesta demandas que nos destruirão se não forem atendidas.

Sejamos francos, a nossa busca não é pela saúde. E os serviços oferecidos pelos nutricionistas* não têm relação com saúde. A questão é tentar controlar o corpo, ou mais especificamente: não engordar.

Eu sei (sabemos!) que os índices de doenças crônicas como hipertensão, diabetes e cardiopatias estão crescendo a olhos vistos. Sabemos também que boa parte dessas doenças pode sem evitadas por meio de uma alimentação saudável. E esse tema é muito importante.

Mas…

a parte que não falamos é sobre o crescimento vertiginoso dos transtornos alimentares;

a parte que não falamos é sobre como o alimento deixou de ser direito de todo cidadão e se tornou bem de consumo;

a parte que não falamos é sobre como o corpo virou moeda de valor e um artifício para marginalizar os que não têm as características físicas “desejáveis”;

a parte que não falamos é sobre como atualmente pode-se julgar um ser humano com base no que ele come.

a parte que não falamos é sobre como uma parcela mínima de mulheres consegue transitar por aí sem sentir qualquer tipo de desgosto em relação ao próprio corpo;

a parte que não falamos é sobre como as manobras desesperadas para ter “saúde” está nos deixando doentes.

a parte que não falamos é sobre a GUERRA silenciosa que travamos contra os nossos corpos. Todos os dias.

Todas essas questões ficam em segundo plano enquanto nós corremos em zigue-zague atrás de informações sobre “alimento que cura’, “alimento que mata”, “alimento que engorda”, “alimento que emagrece”.

Enquanto ocupamos nossas mentes com besteiras, maçãs e fitas métricas, existe um problema DE VERDADE acontecendo. E é muito sério: a nossa relação com o alimento está ficando cada vez mais desajustada. E de modo silencioso. Porque a doença aparece disfarçada de saúde diante dos nossos olhos.

Eu adoraria poder dizer “se você precisa de orientação, procure um nutricionista”. Mas eu simplesmente não posso fazer isso. Infelizmente, existem muitos profissionais que alimentam A OBSESSÃO que deveria estar sendo combatida.

Não procure qualquer nutricionista. Procure um nutricionista com bom senso,  que não seja gordofóbico e, principalmente, que não seja um monstro do power-rangers.

*É EVIDENTE que eu não estou falando de todos os nutricionistas do mundo.

Anúncios

2 ideias sobre “Sobre o dia 31 de Agosto

  1. Pingback: O que faz um Nutricionista? – Nutrição Clínica, Funcional e Fitoterapia

Os comentários estão desativados.