Magras, se acalmem.

Olá, gente.

Recentemente eu recebi a seguinte imagem (de muitas pessoas):

13081782_1008469759247159_454423387_n

Aí eu fiz uma discussão sobre ela no Facebook.

Eu discorri, de modo geral, sobre o fato de que magreza não é sinal de superioridade (é o que está sendo transmitido pela figura) e que o exercício de SER MÃE é uma coisa muito mais importante do que ficar discutindo sobre o número da calça jeans.

Número do jeans: é uma suposta padronização de tamanho de roupa, mas na realidade cada loja tem o seu “próprio 38” então esse número não serve para nada, uma vez que:

Você pode comprar uma calça 36 na loja X

Você pode comprar uma calça 38 na loja Y

Você pode comprar uma calça 42 na loja Z

O seu corpo não mudou. Mas você provavelmente tem diversos números no seu guarda-roupa.

Então, de maneira objetiva e prática… Para que serve esse número?

Para nada.

A partir disso, foram suscitadas as mais insólitas interpretações:

Eu estou SEMPRE atacando as magras

Eu estou criticando mãe que “quer se cuidar”

Eu estou incentivando a obesidade (um clássico!)

Eu estou dizendo que gordas são as melhores mães (?????????????)

“Skinny-Shaming”
(não é o caso, gente. Quem está “provocando”, nessa situação específica, é a mãe magra)

Estou humilhando as mães que não conseguem fazer tudo que eu narrei no texto (Arre!!!)

DITADURA FEMINISTA DA GORDURA

NÃO SOU OBRIGADO A ACHAR GORDA BONITA

(Zzzzzzzzzzzzzzzzzz…)

Estou dizendo que as mães que querem emagrecer depois do parto são fúteis (Oi?)

EU TENHO DIREITO DE QUERER MEU CORPO DE SOLTEIRA DE VOLTA (Sim, você tem.)

(“Eu sou responsável pelo que falo, não pelo que VOCÊ entende”)

Magras… Calma.

Mulheres passam por tanta objetificação, fragmentação do corpo, análise minuciosa de suas características físicas, pressão estética… Que acabam absorvendo as seguintes mensagens:

1) O DEVER da mulher é ser bonita.

2) Você É a sua aparência. Essa é a sua identidade.

3) Para assegurar nosso valor pessoal, precisamos realizar comparações.

4) Discutir sobre quem é a mais feia, a mais bonita, a mais gorda, a mais magra, a mais isso, a mais aquilo é uma prática diária e comum. Reproduzimos e não sabemos nem porque.

Focar TUDO no aspecto físico é um hábito tão arraigado no imaginário feminino, que eu escrevi um texto enorme sobre os desafios de ser mãe, e o que aconteceu na caixa de comentários foi:

Eu uso 42; eu ganhei 30 quilos depois perdi 12; eu uso 36, algum problema?; eu ganhei estrias; eu emagreci porque fiz reeducação alimentar e academia; Eu uso 38; eu uso 40; eu uso 34; minha tia engordou 36Kg; eu uso 42; eu odeio minhas coxas; eu queria esse corpo; meu corpo não voltou ao normal; voltei ao peso original rapidinho; eu tenho medo de engordar na gravidez; eu sou magra; eu sou gorda; magro é mais bonito; gorda é mais bonita; que que adianta não ter carnes; mulher bonita tem curvas; hipocrisia todo mundo quer ser magra; minha cintura nunca mais foi igual, eu ganhei 28 quilos depois perdi 18 e recuperei 7;sou 46;eu uso 52 mas antes da gravidez eu usava 40

E eu estava falando sobre os desafios de ser mãe.

…Mas ELE não sai da nossa cabeça. Foi gravado em ferro em brasa. O corpo. O corpo. O corpo.

Como não foi a primeira vez que começou esse melindre entre gordas e magras (e não será a última) vou reproduzir um texto que eu fiz há algum tempo, para deixar CLARA a posição do NSE sobre isso:

TRETA

“Tá rolando um rebuliço por causa disso aqui. Nos comentários e nas mensagens inbox.

Um verdadeiro ping e pong.

Manas.

Vamos respeitar o tamanho do quadril das amigas.

1) Temos que apoiar umas às outras, não disputar (a disputa é pelo o que? O olhar dos homens? Isso tem importância? Really?)

2) Tamanho do manequim não tem representatividade nenhuma na ordem do dia.

Quem veste 36 não é melhor-mais bonita-superior a quem veste 40. E vice-versa.

Quem veste a partir de 40 está cansada de ouvir:

– Você tem um rosto tão lindo…
– Tô falando isso pela sua saúde…
– Gorda só faz gordice
– Você não deveria comer tanto.

Quem veste menos de 38 está cansada de ouvir:

– quem gosta de osso é cachorro
– você come direito?
– você é magra de RUIM
– talvez seja bom você ganhar peso…

A sociedade já TRUCIDA nossos corpos o suficiente. Não comecemos a fazer isso entre nós… Certo?

Não tem corpo MELHOR
Não tem corpo PIOR
Não tem corpo MAIS BONITO
Não tem corpo MAIS FEIO

Existe diversidade genética e VÁRIOS tipos de corpos no mundo. E NENHUM deles é padrão-ouro com ISO 9001.

Vamos deixar essa coisa toda de corpo/medidas/tamanho/peso/aparência no acostamento?

Nunca ajudou ninguém.
Nunca aumentou a autoestima de ninguém.
Nunca motivou ninguém a ficar mais saudável.
Nunca serviu para NADA além de estressar e causar inseguranças.

Estresse e insegurança. Para todo mundo. Dos dois lados.

VOCÊ que está lendo este texto (É. Você!)

– Você é inteligente
– Você é engraçada
– Você é esforçada
– Você é honesta
– Você tem talentos
– Você é super legal
– Eu quero ser sua amiga
– Você quer ser minha amiga?

…Ótimo. Vamos passear?

NÃO INTERESSA o tamanho de roupa que você usa.

#SORORIDADESempre

OK? Tá compreendido?

BEIJOS para as magras gordas negras brancas ruivas azuis amarelas xadrezes lindas TODAS as manas do mundo

Anúncios

6 ideias sobre “Magras, se acalmem.

Os comentários estão desativados.