Arquivo mensal: abril 2016

Você não precisa de transformação. Precisa de um reencontro.

O texto de hoje é da Carolina de Biagi, parceira do NSE, consultora de estilo e autora do Blog “Um Unicórnio Fashionista

Algumas pessoas me perguntam se o que eu faço é parecido com os programas de transformação do visual que vemos na TV. Eu respondo que sim, é parecido, infelizmente não teremos uma verba enorme pra comprar um guarda – roupa novo, mas em compensação também não jogo nenhuma roupa sua no lixo. Mas a coisa mais importante que o meu trabalho e os (bons) programas de moda na TV têm em comum é que o importante não é a transformação. É o reencontro.

Pode parecer estranho falando assim.

“Reencontro com quem?”

“ Ué, se no fim do processo eu estou diferente do que quando comecei, é transformação, não é?”

“Nossa, mas eu queria tanto ser outra pessoa….”

Eu uso uns termos meio diferentes mesmo, mas é que transformação me lembra tornar – se diferente. O que pode ser bom ou ruim, mas não é o que me interessa. Eu não quero que você se transforme. Eu quero que você se reconecte, se redescubra, volte a contar a sua própria história através do que você veste.

Ih, Carol, mas aí não é enxergar profundidade demais em roupas?”

Não, não é. As pessoas, e principalmente as mulheres, são ensinadas todos os dias a esquecerem de si mesmas, seja porque não têm tempo, seja porque não se enxergam em um padrão de beleza abusivo ou porque acham que é egoísmo tirar um tempinho pra pensar em si mesmas. Sem perceber, ficamos cada vez mais automáticos, mais uniformizados e mais frustrados. Pensar sobre si mesmo é importante! E o que vestimos pode ajudar muito nisso.

Eu não quero te transformar em outra pessoa, mesmo que você me procure acreditando nisso. Não me interessa acabar o trabalho com uma mulher linda, mega fashion que não tem nada a ver com a minha cliente. Me interessa trabalhar pra ouvir você dizer que não imaginava que podia se vestir assim, mas que nunca se sentiu tanto quanto você mesma.

Não é mudar, é re – conhecer.

E se eu puder dar um conselho, independente da consultoria, procure formas de se conectar com você, de se conhecer e principalmente, de se amar. Tem muita coisa na vida querendo nos reduzir a um número ou a um cargo, um título, um estereótipo. Não lhes dê esse gostinho.

Você é única e essa é a grande riqueza.

Carolina de Biagi