QUAL é o problema de comer “clean”?

Algumas considerações sobre o texto que eu escrevi para o site Think Olga:

“Quando ser saudável não é saudável”

timthumb

Primeira coisa de tudo: você pode ter uma alimentação balanceada e saudável sem que isso tenha um nome chique em inglês.

 

Enfim,

Mencionei um programa alimentar que propõe um “desafio” dentro do qual a pessoa passa por uma modificação abrupta em sua alimentação por 30 dias. Além de inúmeros benefícios para a saúde, prometem, claro, a perda de peso.

Já disse anteriormente  que não vou explicar em minúcias, e não vou.

É mais uma proposta de PERDA DE PESO/DETOX do organismo dentro da qual você tem que seguir 76859484436 regras.

O programa lista uma car*lh*da de coisas que você NÃO PODE consumir ao longo de 30 dias, para que você descubra como é verdadeiramente se sentir BEM, como existem substâncias que te fazem MAL e te INFLAMAM e podem te causar LETARGIA e CÂNCER.

 

(O HORROR)

 
Honestamente?

 Eu acho que as regras preventivas para não termos câncer são TÃO numerosas e TÃO complicadas de seguir, que o estresse causado pela tentativa de incorporar tudo isso na nossa vida pode nos causar um câncer.

 

 

Voltemos ao programa.

A lista de alimentos “permitidos” é complexa e restrita.

Sinceramente, meu povo… Não vale a pena.

“Ah, mas você está julgando quem segue o programa…qual é o mal de seguir uma coisa que só faz bem?”

1) Minha santa caropita, eu não estou julgando quem segue o programa
2) Acontece que seguir o programa não faz bem. As pessoas PENSAM que faz. Mas não.

 Como nutricionista, eu vou falar DO PROGRAMA…E não de quem faz.

Do pro-gra-ma. Ok?

 “Qual é o problema de mudar a sua alimentação de modo radical, repentino e abrupto por 30 dias?”

 

R: Você vai causar uma bagunça metabólica nunca antes vista dentro do seu corpo. Você vai passar por um estresse mental imenso, se vendo imerso num mundo de comidas alheias ao seu cotidiano de um dia para o outro.

 

“É possível seguir este programa alimentar pelo resto da vida?”
R: Não.

“Ah, então ele é temporário e é muito saudável para dar uma ‘regulada’ no organismo….”

R: Não. Uma mudança intensa no seu padrão alimentar por um intervalo de tempo determinado é uma….Dieta. E isso não vai REGULAR o organismo (e nem “limpar”. Porque é para isso que temos fígado, rins, intestinos e sistema respiratório)… Essa coisa toda vai DESREGULAR seu corpo.

“Qual é o problema de comer alimentos verdadeiros e frescos? Isso é saudável! Você prefere alimentos congelados e empacotados?”

R: É evidente que NÃO. Mas a mudança na nossa alimentação precisa ser GRADUAL para que seja genuína.

 O problema não é optar por uma alimentação mais saudável, fresca, com o mínimo de alimentos ultraprocessados possível. O problema é SE JOGAR numa mudança repentina, difícil de seguir, psiquicamente estressante, que não tem nada a ver com seu estilo de vida, que acontece de FORA para DENTRO e não de DENTRO para FORA… E que depois vai te deixar de “presente” um formoso efeito sanfona.

 

escada

Se você tentar pular do primeiro até o oitavo andar feito um doidivanas, você vai bater a canela, desequilibrar, cair para trás e rolar da escada.

 

 

“Ah, mas pode ser que funcione bem para alguém… Você não conhece todas as pessoas. Talvez alguém se adapte bem com isso.”

R: De fato, eu não conheço todas as pessoas, mas eu sei que todas as pessoas são SERES HUMANOS da espécie Homo sapiens. Eu conheço a fisiologia humana e SEI que essa brincadeira de começar a comer uma montanha de vegetais e cortar todas as guloseimas do mundo da noite para o dia não vai dar certo. 

Não é só a INDÚSTRIA do saudável que fomenta a controversa “geração saúde que não traz saúde”. É o pensamento dicotômico. É o terrorismo. É a cultura.

Foco, Força, Fé ….EQUILÍBRIO, gente.
 
Anúncios

2 ideias sobre “QUAL é o problema de comer “clean”?

  1. Natasha

    Que delícia de post!
    Obrigada por permitir que eu finalize meu dia lendo algo tão coerente e real!

    Abs.
    Natasha (uma mulher em busca do equilíbrio) 🙂

Os comentários estão desativados.