Carta aos desesperados.

Você está se sentindo mal por causa do feriado? Sentindo culpa? Medo de engordar?

Vamos conversar um pouco.

O que a gente vê acontecendo nas redes sociais é reflexo dos valores, crenças e comportamentos da sociedade.

Eu tenho uma pasta no meu computador chamada “Para postar” e a quantidade de memes, anúncios e prints de postagens que eu tenho ali é muito, muito grande. Todas as figuras que eu tenho (e que estão “na fila” para serem publicadas) falam de maneira muito negativa sobre comida, alimentação saudável, engordar e ser gorda (o).

1) Comida

O que vai acontecer após este feriado de Páscoa, mais especificamente na segunda-feira, será uma enxurrada de lamentações, justificativas ou comemorações de quem “resistiu” às terríveis tentações que sofreu.

Postagens típicas:

Foto do Kung fu Panda (ou da Peppa, do Shrek, de um Teletubbie..) acompanhada da frase: “Eu depois da Páscoa”

fas princess

(“EU depois da Páscoa” – Princesas Disney gordas também são comuns)

Status: “depois de ter jacado por três dias, bora voltar pra dieta”

jq

Selfie na academia com legenda “foco, força e fé #EuResisti”

(Dieta é SAGRADO)

Qual pensamento está por trás de todos esses comportamentos?

A ideia de que comer é errado!

Não devemos comer. Comer engorda. A comida é nossa inimiga. É uma tentação. Não precisamos TANTO ASSIM de comida. Nós comemos porque não temos vergonha na cara. Nós comemos porque não temos autocontrole. A comida não deveria NOS VENCER. Nós temos que VENCER a comida.

Você pensa assim? O simples ato de comer te deixa culpada (o)?

Pois pense que se você chegou até aqui e agora se encontra diante do computador (ou da tela do celular) lendo este texto… É porque você come. Comeu durante a vida inteira. Porque comida e líquido são fundamentais para a manutenção da vida. Quem não come fica doente ou morre. Não é errado sentir fome. E você não precisa ter medo de sentir fome.

A comida é aliada. A comida nos fornece nutrientes para sustentar os milagres que ocorrem dentro do nosso corpo. Coordenação motora, pensamentos, funções orgânicas bioquimicamente perfeitas.

(COMER é legal!)

Mesmo quando o que a gente come não seja UTILITÁRIO, ou seja, não forneça uma gama de nutrientes para que a nossa alimentação seja FUNCIONAL (exemplo: um Ovo de Páscoa) a gente não precisa sentir culpa porque saboreamos algo que não vai “servir” pra nada.

A sociedade é muito utilitarista, você não acha? Quantas vezes você foi para a escola aprender um assunto X e a pessoa ao seu lado (ou mesmo você) fez o famoso comentário:

“Eu nunca vou USAR isso na minha vida”

Beleza.

Só que tem coisas que a gente não USA, não aproveita, não recebe benefício. Mas mesmo assim o mundo é repleto de artes plásticas, dança, literatura, música, gastronomia.

Pra que SERVE isso?

Pra que SERVE isso?

(Gonçalves Dias – Canção do Exílio)

Pra que SERVE isso?

Então… Pra que SERVE um Ovo de Páscoa? Para nada.

Ele é bonito, saboroso, doce, a gente gosta e pronto.

***Claro, óbvio, EVIDENTE que***: eu não estou dizendo para comer chocolate desenfreadamente no café da manhã, no almoço e na janta todos os dias.

Mas na Páscoa? Que mal tem?!

Não estou falando apenas de chocolate. Estou falando de COMIDA.

Se você acha que arroz é um exagero, batata tem carboidrato demais, pão é veneno, banana engorda…

E a única coisa que você come sem sentir culpa é alface… Temos um problema.

Pode acreditar em mim: não é errado comer. Não é errado gostar de comer. Não é errado cometer excessos ocasionais. Tudo isso é normal.

2) Alimentação saudável.

Muitas pessoas enxergam os alimentos de maneira maniqueísta: bom ou ruim, certo ou errado, permitido ou não permitido.

Te convido para um mergulho no CLÁSSICO “Maçã ou Hambúrguer”!

…BORA?

MAÇÃ OU HAMBÚRGUEEEEER!!!!!!!!!!!!!!
Eu adoro clássicos.

Então. A mensagem que nos ensinam é que existem duas opções na vida:

Coisa gostosa que engorda OU coisa sem graça que emagrece.

(Beleza…)

Alimentação saudável vira sinônimo de tortura: você tem que fazer um sacrifício tremendo, precisa evitar todos os alimentos DO MAL e se você “escorregar”… Vai ter que começar tudo de novo.

(Se reconhece nisso?)

E se eu te contar que não existe “começar de novo” porque não existe princípio nem fim? Comer é comer. Não precisa ser algo dividido em módulos, etapas, tentativas e “recaídas”

A gente come abacaxi, abobrinha, arroz, feijão, pepino, berinjela, cupcake, quiabo, chocolate branco, rabanete, bala mastigável, pão, ovo, cheesecake, coxinha, mortadela (mera coincidência...), salada de frutas, mandioca, panqueca, geléia, lentilha, amendoim, atum, azeitona, brownie, pizza, tomate…

Entende?

Não existe a divisão: MUNDO DO FAST FOOD e MUNDO DA “COMIDA BOA”.

Ou, como preferir, MUNDO DO HAMBÚRGUER e MUNDO DA MAÇÃ.

Tudo isso permeia e nosso hábito alimentar se constitui de escolhas variadas. Isso é alimentação saudável.

Fisicamente saudável, socialmente saudável, culturalmente saudável e principalmente: mentalmente saudável.

Por isso que quando eu sugiro que as pessoas parem de fazer dieta, algumas pessoas me acusam de estar dizendo “Se joguem nas guloseimas!!”

…Errado.

Comer de tudo significa comer, também, as comidas que são (erroneamente) classificadas como “comida de dieta”. Comer de tudo. De tudo.

3) Engordar

Você não vai engordar 10Kg por causa do feriado de Páscoa. Engordamos quando comemos mais do que a nossa necessidade por um período longo de tempo.

O corpo simplesmente LIDA com as festas de aniversário, com o almoço de Páscoa, com a ceia de natal e com o café colonial que você foi com o pessoal da empresa.

Você sabia que comer com culpa engorda?

Quando ficamos estressados, o nosso corpo libera um hormônio chamado cortisol, e ele promove a lipogênese, ou seja, a deposição de gordura no nosso corpo.

Você sabia que dieta engorda?

Quando tentamos controlar a nossa alimentação restringindo o volume de comida que ingerimos, o nosso cérebro (que só trabalha para a nossa sobrevivência) interpreta isso como um cenário de privação. Ele nem sabe que você está causando essa privação voluntariamente.

Da mesma maneira que quando você fica sem ar, o seu corpo faz de tudo para você respirar, quando você quer urinar, o corpo te provoca uma sensação de urgência na bexiga,quando você faz atividade física, o seu coração acelera, quando você precisa defecar, o corpo trabalha para te fazer evacuar, quando a temperatura dentro do seu corpo aumenta muito, o corpo faz você suar

Quando começa a entrar menos comida, o seu apetite vai aumentar!!

Nós não controlamos a nossa respiração, nosso batimento cardíaco, nosso sistema urinário, a temperatura do nosso corpo, a salivação, a dilatação da pupila…

POR QUE raios nós seríamos capazes de controlar nosso apetite e nossa ingestão alimentar?

(Não domamos tudo isso com “força de vontade”)

O nosso corpo AVISA quando temos fome. Ele AVISA quando já estamos satisfeitos. Ele AVISA se precisamos comer doce ou salgado. Ele AVISA a quantidade de fluidos que a gente tem que beber, e quando.

O problema é que a gente parou de escutar.

E nós ignoramos os nossos sinais internos para confiar em normas e regras externas. Dietas. Ou simples tentativas de controlar a fome.

Você NÃO VAI começar a comer como um rinoceronte desgovernado se você entregar o controle para o seu corpo. Não vai. Não se preocupe.

Se sentir mal por causa das coisas que você comeu na páscoa e querer passar a semana bebendo shakes e sucos “detox” é uma estratégia que também não vai ajudar.

O nosso sistema digestivo foi feito para a gente se alimentar de sólidos. Por isso nós temos dentes. Por isso a nossa alimentação começa na boca.

Se você tentar se sustentar com líquidos, eventualmente você vai perder o controle e comer MAIS do que comeria se não estivesse tentando limitar a sua ingestão alimentar.

Tudo o que é muito represado, eventualmente extravasa. Se você tentar controlar a alimentação, você VAI acabar comendo mais do que o corpo precisa. E se você de fato conseguir controlar o volume de comida que você ingere, é possível que você esteja começando a desenvolver um transtorno alimentar.

Ou seja, de qualquer maneira, isso não é bom.

Então a vida continua. Repito: a vida continua!

Não tome decisões drásticas na segunda-feira. Não vai ser legal para você.

ovo

4) Ser gorda

Essa questão toca na ferida.

A sociedade relaciona “ser gordo” com um conjunto imenso de características negativas: preguiçoso, fracassado, derrotado, sem vergonha, glutão, indisciplinado…

E se você for mulher, mais um item entra na lista: feia.

E se você é mulher, você não pode ser feia, né? Mulher TEM QUE ser bonita. Porque o corpo da mulher existe para ser observado pelos outros. Você está sempre em exposição, certo?

Mulher tem que ser bonita. Bonito é ser magra.

Se você for gorda… Você é feia E derrotada.

…E se eu te disser que tudo isso é bobagem?

Se um padrão de pensamento é dominante, não significa que ele está certo.

Gordo (a) é uma característica física.

Existe gente alta, baixa, branca, negra, ruiva, de olhos castanhos, verdes, azuis, de cabelo liso, ondulado, crespo…

E existe gente magra e gente gorda.

(Tem MUITA GENTE no mundo)

Se nas segundas-feiras você acorda “se sentindo gorda”, perceba que gordura não é um sentimento. E que você está sentindo medo, frustração, raiva, solidão, tristeza… E confunde isso com “estar gorda”.

E aí você acha que se emagrecer, vai ser feliz.

Só que emagrecer não é um passaporte para a felicidade.

Você não precisa de um determinado peso, tamanho ou percentual de gordura para ser feliz.

Mas eu preciso emagrecer porque eu estou com problemas de saúde.”

Ok. Mas não adianta acreditar em dietas, mudanças radicais, milagres.

12782205_791757277636056_2001111302_n

Encare a questão de maneira lúcida.

Você não vai perder todo o peso acumulado ao longo de meses ou anos em uma semana.

Tem várias notícias de “heroínas contemporâneas” (emagrecer vale mais que um prêmio Nobel…) que perderam um montante absurdo de peso em tempo recorde? Sim!

Heróis

(Não é coincidência que todas sejam mulheres)

Mas o repórter só registra o momento ATUAL. Você realmente acha que essa magreza será mantida daqui a alguns meses ou daqui um ano? Realmente?

Sabemos que não.

1 ano

Pode ser que você esteja passando por algum problema emocional, um transtorno alimentar, uma situação de depressão, luto ou alguma razão importante que te fez ganhar peso.

Se os sentimentos em relação à comida não forem modificados, dificilmente ocorrerá o emagrecimento.

Coloque o peso em segundo plano. Coloque o emagrecimento em segundo plano. Procure se entender, se harmonizar, identificar o que o alimento siginifica para você e quais sentimentos ele está “mascarando” quando você come.

Primeiro as coisas devem se organizar… E o emagrecimento vem por consequência.

Você não é feia, derrotada, fracassada, indisciplinada, “sem vergonha” porque é gorda.

Tudo isso é mentira. Eu juro para você.

As simpatias, as dietas, os chás, os sucos, as ervas, os remédios, as tentativas LOUCAS de perda de peso…

Isso tudo também é mentira.

Se acalme. Não se desespere.

Você verá como as coisas começam a melhorar.

Anúncios

6 ideias sobre “Carta aos desesperados.

  1. Pingback: A Nutri Comenta #19: Desesperados - Meu Nutri - Nutricionista Danielle Andrade (Nutrição Infantil & Comportamental)

Os comentários estão desativados.