As regrinhas da moda

O texto de hoje é da Carolina de Biagi, parceira do NSE.

Ela é consultora de estilo tem um Blog chamado “Um Unicórnio Fashionista“.

Eu gostei do trabalho dela porque ela promove moda e estilo para TODAS AS PESSOAS.

“Acredito firmemente que todo mundo tem estilo e que moda é expressão pessoal, sem regrinhas que te prendam e limitem.”

Eu também gosto de quebrar regras, então vamos ao texto dela 🙂

Carolina

 

Moda existe para ser expressão pessoal e divertimento. É uma das formas mais poderosas de expressão que existe, ajuda a contar um pouco de você pro mundo. O problema é que pegaram esse instrumento tão maravilhoso e criaram um monte de regrinhas de certo e errado que acabam mais cerceando a nossa liberdade do que ajudando.

Pode parecer estranho eu dizer isso sendo consultora de estilo, afinal a primeira coisa que se imagina é que eu irei encher a minha cliente de regras, de pode e não pode. Dar uma fórmula mágica do que é “se vestir bem” e pronto. Na verdade não funciona bem assim.

(QUEM disse?)

Como eu disse antes, moda é expressão pessoal. O que você veste manda mensagens pro mundo, conta um pouquinho de quem você é. Meu trabalho é te ajudar pra que as mensagens que a suas roupas passam sejam aquelas que você realmente quer contar. Transformar roupas e acessórios em aliados pra expressar o que você quer. Quando a gente transforma o estilo em uma ferramenta de autoconhecimento, a auto estima agradece.

Quando você abre uma revista de moda, milhões de regrinhas aparecem. O que se deve usar agora, o que tem que ser esquecido. O que fica bem em determinado corpo, o que não fica. “Se você é assim, nunca use isso, se quer ficar assim, tem que fazer aquilo”. Quer saber a verdade? Quando você aprende a se vestir pra si mesma, criando um senso de estilo próprio e que diga pro mundo o que te interessa, nenhuma dessas regras importa muito. Elegância, sensualidade, romantismo, são conceitos pessoais, não fórmulas prontas. Uma mulher pode ser extremamente elegante usando jeans e tênis e ficar deslocada de terninho e salto.

Vestir um personagem nunca é tão poderoso quando vestir a sua verdade.

No meio dessas regrinhas, confesso que a que mais me cansa é o “tem – que ter”. Você não tem que ter nada. Comprar milhões de roupas novas ou renovar o guarda – roupa a cada estação não vai te tornar mais estilosa (ou mais feliz), só vai causar um rombo nas suas finanças. Não use nada porque “todo mundo está usando”.

Da mesma forma, não deixe de usar nada que realmente gosta porque disseram que não é pra você. Talvez existam apenas diferentes formas de usar algo para diferentes pessoas, mas não existem “peças proibidas” pra ninguém. Use a moda a seu favor, divirta – se com ela e valorize seu próprio estilo. Essas são as únicas regras que realmente interessam.

pooh

Texto de Carolina de Biagi

 

Anúncios

Uma ideia sobre “As regrinhas da moda

  1. Rosane

    Concordo que muitas regrinhas não encaixam em variados biótipos e precisamos achar nosso estilo próprio ou até vários estilos dependendo de atual situação,mas minha opinião para qualquer ocasião e estilo seria Muito BOM SENSO.

Os comentários estão desativados.