“Gordura é ruim e faz mal”

Tecido adiposo

Gordura é boa. Desde SEMPRE.

Gordura não é ruim, e muito menos “doença”

Não se renda ao pensamento lipofóbico.

Um organismo não sobrevive sem gordura.

Se gordura fosse RUIM, ela não existiria no nosso corpo. Gordura tem função.

A gordura:

Regula a temperatura corporal;
Protege os órgãos internos contra choques mecânicos;
Promove sensação de saciedade
É veículo de transporte/absorção das vitaminas A,D,E e K.
Tem participação na regulação do apetite.

Antes a gordura corporal era vista simplesmente como reserva de energia. Mas não é bem assim. Atualmente a comunidade científica sabe que o tecido adiposo é considerado um importante ORGÃO ENDÓCRINO complexo, com funções reguladoras do balanço energético, regulação da ingestão alimentar e outras funções neuroendócrinas

O colesterol, por exemplo, compõe as membranas celulares e participa da síntese de hormônios (estrogênio e testosterona)

A gordura também é boa para o seu cérebro. Você sabia que o cérebro humano é composto por 60% de gordura? O cérebro usa 20% da energia metabólica do corpo, embora seja um órgão tão pequeno em relação ao resto do corpo. A conexão entre os neurônios é revestida pela bainha de mielina, que é composta de 70% de gordura, então a gordura te ajuda a ser inteligente, sagaz e ter boa memória.

A gordura tem muuuuuuitas funções no corpo. E uma pessoa, sem gordura corporal, MORRE.

GORDURA NÃO É RUIM.

O EXCESSO de gordura PODE causar doenças crônicas. O excesso.

Se desfaça da ideia de que gordura é ruim. A gordura tem um PROPÓSITO para existir no nosso corpo. Se fosse coisa “ruim”, simplesmente não teríamos.

(NÃO EXISTE isso. O nosso corpo tem gordura)

Não é uma substância do mal que só existe para nos prejudicar. Esse pensamento parte de desinformação e pensamentos simplistas sobre o que é ~bom ou ruim~ para nosso organismo

PARE de acreditar que gordura é ruim. É uma substância fisiológica, normal e necessária para o nosso corpo.

No mais,

Ensinar que “ser gordo é ruim” fomenta atos de preconceito, relaciona características morais negativas (preguiça, glutonice, inércia, destemperança…) com a presença de gordura no corpo.

“Magros são disciplinados e equilibrados”

Gordos são preguiçosos e descontrolados”

Isso não é verdade. Não podemos fazer suposições sobre a vida de uma pessoa (e nem julgá-la) tomando o aspecto físico como parâmetro.

As pessoas gordas são humanas e merecem ser tratadas com dignidade e respeito. Ensinar que “boa menina não engorda” causa muita tristeza, baixa autoestima e as meninas que não conseguem emagrecer (e que não necessariamente estão doentes. A pressão é estética) sentem que não serão merecedoras de amor se continuarem gordas. E isso gera um ciclo perverso de rechaço ao próprio corpo e até desenvolvimento de transtornos alimentares. Porque a menina vai querer fazer QUALQUER COISA para emagrecer e ser aceita. Ensinar que “gordo é ruim” é dizer que: ser gordo é feio, indesejável, ruim, asqueroso. E a pessoa interpreta que ELA é ruim. Que ELA não presta. Que ELA não vale nada.

GORDO/GORDA é uma característica física que não deveria ter conotação negativa.

(Não permita que a sua filha, ou qualquer criança que você conhece, cresça relacionando seu valor pessoal a um número na balança)

Anúncios