JÁ QUE… nada!!

Hoje eu vi uma pessoa começar e desistir de uma dieta. No mesmo dia. Em questão de horas.

Convivo com muita gente no dia-a-dia e tem pessoas que não sabem que eu sou uma nutricionista meio fora da norma. Que eu não faço dieta. Que eu não passo dieta. Que eu tenho esse Blog.

Dá muito trabalho para explicar que eu acredito que o aspecto físico não determina beleza e nem saúde e que dieta não funciona (se funcionasse, a problemática da obesidade no mundo seria resolvida de modo simples, bastaria uma dose de ~força de vontade~)

Então eu vejo, sim, muita gente atrelada à mentalidade de dieta e funcionando dentro da dinâmica vou-fazer-dieta-para-emagrecer-porque-dieta-emagrece-e-magreza-é-bonito.

(alguém falou em saúde? Não, ninguém)

Também escuto várias vezes coisas do tipo “A nutricionista vai me matar porque comi essa paçoca”

(eu não vou nada)

A pessoa que eu vi hoje começou o dia dizendo “sai de perto de mim com esse pão porque isso não me pertence mais!” ao mesmo tempo em que tomava fartos goles de uma garrafa de chá cor de guaraná, supostamente emagrecedor e que tinha cara de ser amargo.

seca barriga

(Eu honestamente prefiro uma toalha)

Algumas horas mais tarde, uma outra colega passou oferecendo um pedaço de bolo que restou de uma festa junina no final de semana.

Só observo.

Em instantes, a decisão de fazer-dieta-pelo-resto-da-vida foi severamente comprometida pela presença desestabilizante do bolo de cenoura.

Logo veio a justificativa:

JÁ QUE eu estraguei toda a minha dieta, vou acabar com esse bolo inteiro, mesmo”

Complicado. Cíclico. Previsível.

O fenômeno “JÁ QUE” é o terrível vilão das promessas de segunda-feira.

E se eu disser que ele não precisa acontecer porque para não passar por isso, basta não estar de dieta?

Fazer dieta contribui para o pensamento ‘TUDO ou NADA’ que nos leva a crer que lancharemos UMA castanha do pará e se não for assim, então tudo estará perdido e portanto só nos resta comer uma barra de chocolate inteira.

Uma folha de alface. Ou uma pizza inteira.

Um ovo cozido. Ou uma travessa de pudim.

Uma maçã. Ou um hambúrguer.

Pode acreditar: decretar uma coisa como PROIBIDA faz com que essa coisa se torne automaticamente irresistível.

…Tipo aquele bolo de cenoura.

É insuportável não poder comer o bolo de cenoura.

Quando teremos novamente um bolo de cenoura?

…E se for o último bolo de cenoura de nossas vidas?

Parece dramático, mas é o conflito mental causado por uma dieta restritiva. De repente “não comer pão nunca mais” (ou pelo menos por alguns meses) parece um desafio duro demais diante de uma das maiores delícias da vida, que é comer.

Parece simples demais para ser verdade, mas esse conflito mental pode ser sanado por uma medida simples: não estar de dieta.

Faz toda a diferença.

Eu também estava ali e não fiquei com uma vontade imediata de devorar o bolo. O bolo não era mítico, nem provocador, nem o juízo final… Era só um alimento.

Comê-lo ou não não determina fracasso ou sucesso e nem O RESTO DA MINHA VIDA. É simples. Sem estresse corporal, emocional, psicológico e cerebral.

Eu sei que parece insano da minha parte sugerir que existe vida sem dieta. Mas existe.

Eu sei que parece escalafobético dizer que o autocontrole nasce quando desistimos do desejo de controlar tudo. Mas nasce.

A mente se acalma quando paramos de assustá-la.

(você anda atirando pedras no lago da sua mente?)

Se não quiser confiar em mim, então confie na Elsa: Let it go! Let it go!

[Observação: O texto é dirigido para coletividades sadias. Estou falando sobre dietas restritivas de emagrecimento ~da moda~. Sim, eu sei que existem patologias que precisam de orientações dietéticas específicas. E eu também sei que a coisa não é tão simples para quem tem um transtorno alimentar, como a compulsão. Este Blog não é consulta. Não deixe de procurar o auxílio de profissionais qualificados.]

Anúncios

12 ideias sobre “JÁ QUE… nada!!

  1. Leticia

    vou chover no molhado porque todo mundo já disse mas: que post incrível! Eu parei de fazer dietas malucas e nunca estive tão feliz. Se eu dou uma exagerada hoje, amanhã é outro dia. E vai que o bolo de cenoura fosse o último da minha vida, né? (haha) pelo menos de vontade não vou morrer.

  2. Tatiana Nais

    Esse poderia ser o post da minha vida no momento. Sempre fui 8 ou 80, mas agora estou assim principalmente com meu corpo. Digo que não vou comer besteira, ai quando não consigo me controlar quero tudo de uma vez porque né, já comecei a comer mesmo.. A pior besteira que a gente faz, né? Preciso muito achar um meio termo e ficar satisfeita tanto com meu corpo quanto com o que eu como.

Os comentários estão desativados.