Um bom nutricionista.

Aviso aos navegantes: O NSE não é um site pró-obesidade

Mas eu estou mentindo.

—> A verdade sobre o NSE pode ser encontrada aqui. <—

Pronto para continuar sendo ludibriad@ na minha teia de ilusões? Ótimo.

Embora seja sempre muito chato, existem questões a respeito da obesidade que precisam ser discutidas…

Já falei sobre o tema anteriormente, mas acho justo bater na mesma tecla novamente.

Primeiramente eu postei esta imagem:

gordo

Um site de humor fez a famosa correlação estereotipada do nutricionista-tem-que-ser-magro.

Atenção… Eu não estou dizendo que nutricionista-tem-que-ser-gordo mas será que nos cabe julgar uma pessoa que está cursando a graduação?

Gordo é uma característica física. A pessoa passou no vestibular. Então ela tem direito de concluir o curso. Ela foi aprovada junto com os demais e não existe uma prova de magreza como requisito para a aprovação.

Não admitir a presença de gordos no curso de nutrição é relacionar magreza com superioridade intelectual. Fato que simplesmente não é verdadeiro porque nós não somos definidos pela nossa aparência. Ninguém é.

Ah, mas é impossível confiar num nutricionista gordo porque a obesidade é uma doença.

Calma. A obesidade é uma classificação do IMC (índice de massa corporal). Ela é um TAMANHO de corpo que PODE ESTAR RELACIONADO com doenças crônicas. Mas não necessariamente.

“Definir a obesidade como doença faz pouco sentido médico, uma vez que, ao invés de avaliar a saúde de uma pessoa com base SOMENTE no IMC, o profissional de saúde precisa examinar cada paciente individualmente, fazer uma avaliação detalhada e considerar parâmetros clínicos como insulina circulante, colesterol, triglicerídeos, etc.”

Leia mais aqui.

Outro fato que pode estar ocorrendo é que a pessoa pode estar em fase de reeducação alimentar, ou mesmo em psicoterapia. Ou os dois. processo que ocorre a longo prazo, portanto não se torna visível no corpo de um dia para o outro.

E talvez nem fique visível. Vale lembrar que mudanças positivas na qualidade de vida podem promover melhoras na saúde, porém com pouco ou nenhum reflexo no peso. E as mudanças qualitativas são mais importantes do que o IMC, porque o IMC é apenas uma relação numérica entre peso x altura.

Será que um profissional que leva uma vida saudável, porém tranquila e sem dietas restritivas,  treinos desesperados e perfil narcisista no Instagram não pode fazer NADA por você? Só porque a barriga dele não é ~chapada~?

Fato: quando você bate o olho numa pessoa, você não sabe nada sobre ela. E as coisas que você ASSUME sem ter conhecimento de causa são pré-julgamentos.

Como percebi que a discussão estava focada em “não podemos aceitar nutricionistas gordos”, publiquei a seguinte imagem:

nutri

Se a (o) nutricionista for MAGRA, todos ASSUMEM que ela é uma pessoa ativa, saudável e que come qualitativamente muito bem… Novamente, apenas batendo o olho na pessoa. Novamente: um pré-julgamento.

Sabia que existem diversos estudos que revelam alta prevalência de transtornos alimentares e de imagem corporal entre estudantes de nutrição?

Acho interessante é que o importante para quem está comentando é NÃO SER gordo (a)… Seja como for. Então o que importa não é a saúde, no fim das contas.

Mas vamos pensar. Pessoas que têm uma relação nebulosa com o próprio corpo e com a comida podem transmitir pensamentos rígidos sobre alimentação aos seus pacientes, sendo uma relação prejudicial.

Muitos perguntaram: – como confiar num nutricionista gordo?

Pois então pergunto, como aprender a comer de modo saudável com uma pessoa com 12% de gordura corporal que não consegue comer um pedaço de bolo de chocolate numa festa de criança? Como aprender sobre qualidade de vida com um fiel adepto do terrorismo alimentar? Perfil TOP nas redes sociais é sinônimo de credibilidade? Desde quando?

Então como saber se o nutricionista é um bom profissional?

bom nutri

Eu não sou a minha embalagem. Você não vai determinar minha competência olhando para mim. Nossa sociedade hiper-valoriza o parâmetro visual, então é muito difícil discutir esses temas, mas profissionalismo é muito mais do que IMC, curtidas no facebook, scoops de whey ou gomos na barriga.

Há dois rapazes na minha página lamentando por mim, dizendo-me para rasgar o diploma porque o meu corpo é o meu portofolio (HAHAHA!). Boatos que eu estou cega pelo meu ~radicalismo~

Radicalismo não seria classificar pessoas dentro de uma relação numérica que não diz nada sobre nada?

Não vou rasgar meu diploma, beijos.

Anúncios

10 ideias sobre “Um bom nutricionista.

  1. Letícia Botelho

    Olá ,sou estudante de Nutrição e estou falando justamente sobre esse preconceito .Você gostaria de participar desse trabalho ? Estamos fazendo uma pesquisa e coletando depoimentos principalmente de estudantes de nutrição e atuantes da área que sofrem desse preconceito, caso tenha interesse é só entrar em contato .

    e parabéns pelo relato, continue firme com o seu propósito e sua escolha !

  2. Simone Antonelli

    Amei esse post. Sou nutricionista e sofri muito preconceito pois não faço o tipo nutri magra e barriga invertida. Sou feliz com os meus 67kg em 1,63 de altura… Parabéns e muito sucesso.

  3. Gisele - Blog Sortimento

    Tenho vergonha de admitir, mas até eu já tive esse tipo de pensamento… felizmente na minha busca por ficar “de bem” com meu corpo vim parar aqui no NSE e lendo seus textos pude refletir muito sobre as cobranças que fazemos e que fazem conosco.
    Embora ainda esteja acima do IMC considerado ideal, saudável, aceitei meu corpo como ele é e isso me tirou uma grande culpa, me proporcionou um alívio muito grande. Hoje percebo o quanto as cobranças incomodam mas não lhes dou o poder de me fazer sentir pior do que uma pessoa magra, nem preguiçosa, descuidada ou qualquer coisa do gênero. É um longo caminho, mas vc e seus textos me ajudam muito e só tenho a agradecer!!
    Abraço,
    Gisele

Os comentários estão desativados.