Carta ao macho alfa.

Ontem me aconteceu uma coisa engraçada. Mas assim, muito!

Ontem a minha Fanpage no Facebook foi invadida por uma patota desses moços Boizão-Alfa-Honrado-da Matrix-dos-Macho-Forever. Não foi a primeira vez. Eu nem ligo muito. Só causa um pouco de incômodo. Mas depois passa.

Eles combinam de “atacar” páginas. Aí ficam mandando um comentário atrás do outro porque, para eles, nossa, essa zueira toda é demais (sei lá, de alguma maneira deve ser engraçado… ou um modo de passar um tempo… ou de fugir da mediocridade marasmática que se chama VIDA…)

Normal. De vez em quando acontece. Você vai bloqueando um por um até que se cansam e vão pisar nas flores de algum outro jardinzinho. Responder, jamais!… A não ser que você queira uma discussão de 4 quilômetros de chorume extra virgem e recém extraído enfeitando o seu lindo Blog/Página.

Enfim. A parte que foi diferente ontem, é que eu fui confundida com um homem. Mais especificamente, com um homem gordo.

Não que fosse realmente um problema ser homem. Ou gordo. Mas a situação toda foi super curiosa porque eu fui alvo de todo um bullying orquestrado para um certo gorditcho que… nunca recebeu os ataques.

Ora, todo mundo sabe que meninas têm cabelo longo e gostam de rosa e meninos têm cabelo curto e gostam de azul. Eu gosto de caos. Então, como parte de um plano perverso para confundir as mentes do Brasil em assombro e terror, eu sou uma menina de cabelo curto. Aí os boizão-honrados não conseguiram lidar. Muita informação.

Quando eu recebo os xingamentos de sempre, o que acontece é, normalmente, uma chuva de “sua gorda”, “sua feia”, “sua mal comida”, “te falta pica”… Esse tipo de coisas que, supostamente, ferem toda mulher em seu núcleo rosa-pink fundamental feminino e faz com que elas vão chorar na cama (que é lugar quente…) por três dias. Só que não. Enfim, existem alguns rapazes por aí que insistem em acreditar que as mulheres lhes servem de carícia ocular e nada mais.

O que aconteceu ontem foi que eu, uma vez que fui confundida com um menino (gordo), comecei a receber algumas coisas desse estilo:

fresco

“Gordo escroto”, “vá emagrecer gordo bicha”, “pare de mimimi seu veado”, “seu chorão de merda”, “Vtnc seu gordo”…

(peço perdão pelas palavras feias neste bloguinho…)

Um dos moços então me pediu para pelo menos refletir sobre as coisas que eles estavam me escrevendo:

reflita

 

Me pareceu um convite justo. Li. Refleti. Então eu invoquei o meu deuso-gordo-interior e fiquei pensando bastante sobre as coisas que me escreveram. Aí eu escrevi uma cartinha.

Segue a missiva:

Caros amigos do movimento Boizão-Alfa-Honrado-da Matrix-dos-Macho-Forever,

Eu não fiquei chateado com o que vocês me disseram. E também não tô com raiva de vocês. Eu não desejo realmente, vingança, nem ferir ninguém de volta.

Sabem por que? Porque eu acho que vocês estão passando por uma barra tremenda.

Sabem qual?

Provar a masculinidade de vocês toda hora. Deve ser horrível. Eu sei que agora eu receberei mais uma chuva de comentários defensivos dizendo “cala a boca, seu bicha”, ou “pare de mimimi seu chorão”.

Mas vocês me convidaram a refletir. Eu refleti. Agora eu gostaria de pedir que vocês reflitam também.

Não precisa contar pra ninguém que vocês pararam para pensar. Podem mandar aí um xingamento protocolar só para dar a entender que vocês, como são muito machos e autossuficientes, não estão “nem aí” para nada. Mas na calada da noite, no escuro, sozinhos, sem ninguém saber, se perguntem:

Quando foi que ser chorão se tornou problema?

Será que foi quando vocês eram pequenos e tudo o que precisavam era acolhimento, carinho e atenção e ouviram o primeiro, amargo e duro:

“Cala a boca, homem não chora!”?

É amargo. Dói. Fere fundo.Eu sei.

Vocês sabiam que o machismo não causa danos somente para as mulheres? Essa couraça de agressividade que carregamos afasta todos nós, homens, de características como sensibilidade, criatividade, dom artístico, expressividade.

Todas essas “coisas de veado” fazem a alma humana vicejar, descobrir o seu potencial, trocar afetos, comunicar e dilatar. O contrário de dilatar é encolher. E vocês estão com a alma encolhida.

Poder, desafio, hombridade, virilidade, força, dureza… macho… Macho!!

Uma hora isso explode, caras. Explode em brigas, alcoolismo, drogadição, violência doméstica, depressão, tendências suicidas… ou em forma de ataques de comentários grosseiros no Facebook.

Aquele garotinho continua aí dentro, em algum lugar, gritando por carinho e querendo brincar de pintura a dedo. Mas cala a boca, que homem não chora, homem não faz pintura, homem não elogia… homem não sente.

Eu não quero fazer parte do clube dos machos, obrigado. Eu sou chorão, eu me importo com os sentimentos das pessoas, eu não quero rir de ninguém. Eu não quero ferir ninguém…E se isso faz de mim um “gordo bicha”, ótimo. Está bom para mim.

Sinceramente,

Um gordo bicha.

Anúncios

12 ideias sobre “Carta ao macho alfa.

Os comentários estão desativados.