Chocolate depois do almoço

Um post rapidinho hoje!

Há uns dias eu passei por uma experiência um tanto desagradável. E creio que quase todos @s nutricionistas ou estudantes de Nutrição irão se identificar com ela.

Eu estou fazendo estágio em dupla na UND do hospital das clínicas (UND = Unidade de Nutrição e Dietética, significa a área de produção de refeições).

Ficar na área de produção é bem legal, pois temos a chance de observar os “bastidores” do servimento de uma refeição. Cozinha não deixa de ser um grande laboratório de transformações físicas e químicas. E é na parte do restaurante que ninguém vê que a magia acontece.

 

Enfim. Estagiária que sou, tenho direito a fazer refeição no local. Eu e a minha coleguinha comemos um almoço bem gostoso (o pessoal dali faz uma comidinha deliciosa!) e eu dei a brilhante ideia:

– Vamos na farmácia aqui do ladinho comprar um chocolate?

Ela, prontamente respondeu que sim, é claro.

Voltamos contentes da vida com nossos chocolates quando…

Nem vou escrever. Prefiro ilustrar a situação:

chocolate

Pois é. Passou uma cidadã por nós e eu fui surpreendida pelo comentário mais típico, equivocado e lavado de estereótipos que assombra todo nutricionista:

“Ahá! Nutricionista comendo __________ (complete aqui)”

Por dentro eu fiquei como o Meme (FFFFFFFFFUUUU). Mas me contive, e respondi calmamente que:

Nutricionistas comem chocolate. É normal.

Sim.

Eu sou quase nutricionista (geente, faltam 26 dias!) e eu como chocolate depois do almoço.

Eu também como Paçoca, mariola, quindim, Frumelo, doce de abóbora com coco,
Bala juquinha, algodão doce e manjar.

Como, Brasil! Sabem por que? Porque não é proibido!

Eu fiz um curso de graduação que me ensinou sobre fisiologia, bioquímica, grupos alimentares, economia, políticas públicas, sociologia, administração de restaurantes, cálculos de cardápio, patologia, dietoterapia, nutrição para o grupo materno infantil, avaliação nutricional de indivíduos e coletividades…

Tipo assim: várias coisas.

Mas depois que eu concluí todas as disciplinas eu não recebi a chave dourada do emagrecimento e também não fiz um juramento ritualístico de nunca mais comer doce.

Eu sou uma pessoa normal. Como você. Que estudou sobre alimentação humana. E que come chocolate depois do almoço quando dá vontade. Minha conduta alimentar não é perfeita, eu não sou fiscal de pratos e também não preciso de fiscalização da minha rotina alimentar. Obrigada.

Vocês já pararam para pensar como é deselegante dizer “Ahá!” em cima da comida do outro? Ora, não sabemos que tipos de conflitos mentais a pessoa pode estar vivendo (nossa sociedade gera vários probleminhas em torno da alimentação…). Se eu estivesse me sentindo culpada por causa daquele chocolate, eu teria me sentido péssima. Se eu tivesse um transtorno alimentar, as consequências do comentário teriam sido nefastas… portanto é mais sensato deixar os outros em paz. Cada indivíduo adulto fica responsável pelas suas escolhas alimentares, combinado?

Se ocorrerem dificuldades, a pessoa pode consultar um profissional nutricionista, numa conversa que será privada, e ela ouvirá conselhos de uma pessoa capacitada… e não de alguém que apenas gosta de meter o bedelho.

Comam e deixem comer. Vivam e deixem viver.

Desejo para vocês um gostoso quadradinho de chocolate!

Boa noite 🙂

Anúncios

14 ideias sobre “Chocolate depois do almoço

  1. biancallemos

    Seu caso me lembrou o motivo que me fez decidir finalmente parar de comer no refeitório do meu trabalho. Eu peguei uma banana pra comer junto com carne e salada (sou intolerante a glúten) e a nutricionista GRITOU: “Você NÃO PODE comer banana, porque banana engorda!”
    Pausa pras 300 pessoas olhando pra gorda que não consegue controlar a gula!
    Ba-na-na! Com carne e salada. É por isso que sou gorda. Porque como banana de sobremesa!

    Eu sempre tive problemas com essa nutri, desde o primeiro mês na empresa, onde ela me acusou de roubar comida dos meus chefes.
    Trabalho na diretoria, geralmente eles comem salada de frutas de manhã. Um vez dois deles viajaram, a salada ia estragar e a outra secretária, mais antiga, falou que poderíamos dividir. Resolvi comer na hora do almoço. Quando estava saindo, a nutricionista apareceu pra falar com um dos chefes, entrou na minha sala e, quando viu o copo com as frutas, passou a mão por cima de mim, pegou e perguntou: “De quem você pegou isso? Você sabe que é proibido comer as coisas da diretoria, não sabe?” Fiquei tão chocada, que nem soube como responder, só balbuciei que eles tinham viajado.
    Após isso vieram os olhares me medindo, as perguntas pela dieta que eu devo fazer (sendo que todos os funcionários que tem as taxas alteradas no hemograma ou com alterações nos exames cardíacos são encaminhados para consulta com ela e isso não aconteceu comigo, porque meus exames são ótimos).
    Ao reclamar dela, fui informada de que não se trata de gordofobia, preconceito, já que ela nunca me chamou de gorda ou com nomes ofensivos. Precisa? Chamar de gorda não faria diferença para mim, eu SOU gorda. Mas e esse assédio?
    Enfim… agora que essa louca vai sair da empresa, estou torcendo por uma nutri decente, que, se for gordofóbica, pelo menos saiba ficar calada, caso eu não peça ajuda pra fazer dieta.

Os comentários estão desativados.