“Só por hoje.”

Hoje eu recebi uma contribuição muito valente da leitora Raquel. É um relato honesto, cheio de humanidade e que me emocionou muito. Tenho certeza que a história dela representa a história de muitas pessoas.

raquel1

“Meu nome é Raquel Link. Eu tenho 27 anos. Durante 18 anos da minha vida eu fui magra. eu tenho 1,66 de altura e pesava 57 quilos. Vestia 38. Eu tinha a vida perfeita e facilitada por ser uma pessoa magra, considerada bonita, dentro dos padrões da sociedade. Tudo estava ótimo. Até que chegou 2006, eu fiz 19 anos e bombas começaram a cair na minha cabeça ou melhor, na minha família.

Em um prazo de cinco anos morreram seis pessoas da minha família. Todos os meus avós, três tios. E o cachorro que eu e meu marido tínhamos pego. Seis meses de vida. A gente saiu pra passear, ele morreu atropelado na minha frente. A coleira escapou da minha mão. Eu faço terapia. Mas ainda me culpo pela morte do Bartolomeu até hoje. Eu fui uma mãe – dog descuidada. Eu falhei.

Então como eu não gosto de drogas (dois dos tios que morreram eram alcoólatras eu nunca gostei de bebida), eu fui para a comida. Mas não simplesmente comer. Muita comida. Duas pizzas inteiras e mais um lanche do Mc Donald´s. Tudo numa noite. Não foi nem a refeição do dia inteiro. E assim foi de 2006 até 2011. Eu fui me matando por dentro e por fora. No inicio comer muito até ajudava, quando o peso pulou de quase 60 quilos para 120 quilos. Eu comia e dava nojo. Mas eu não conseguia mais parar. Como uma viciada em drogas, eu não conseguia parar, mesmo que eu terminasse chorando.

Mas em 2011 eu procurei um psiquiatra, não pra remédios pra emagrecer, mas me deu um anti depressivo, me ajudaria, na questão de ” sentir nojo de mim mesma”, porque pelo fato de engordar eu tranquei a faculdade, e não saía mais do meu quarto. Só recebia meu noivo, hoje meu marido, que até hoje não entendo porque ficou comigo no meio de tudo isso. Amor é a resposta óbvia. Mas ainda assim. eu sempre pensei que ele iria embora. Ele não foi. E isso me deu forças pra lutar.

Tirei uma fatia de pizza ali. Comecei a caminhar 20 minutos ali. E em 3 anos eu perdi 35 quilos. Fui de 120 pra 85. De vestir 58 pra vestir 48/46 (depende da loja).

Mas sabe o que é o pior de tudo?  Apesar de ter perdido todos os 35 quilos? Eu ainda sou considerada gorda.

Na tabela do IMC eu ainda estou na obesa grau I. Faltam 3 quilos pra eu ir pra o sobrepeso. Não que seja ótimo, pro meu medico, “ótimo” é o IMC normal, 68 quilos pra baixo. Apesar dos meus exames estarem normais: diabetes, hemograma, todo o pacote. Eu sou saudável, mas a sociedade ainda me persegue. Familiares ainda passam dietas, porque eu ainda não voltei a ser magra. EU PERDI 35 QUILOS E AINDA SOU UM FRACASSO.

Como uma carne exposta no açougue, eu não interesso. Eu ainda não interesso para as pessoas. Eu ainda não sou vitoriosa. Eu queria saber poque tanta gente se importa com a minha vida. Tirando meu marido, NINGUÉM enxuga minhas lagrimas. Ele é o único que diz que eu sou linda. mesmo quando eu pesava 120.

raquel2

Por isso eu quis desabafar.  Primeiro porque admiro muito o blog e toda sua iniciativa. E segundo porque eu tenho um blog, o escrevoporcomida.wordpress.com, onde coloco minhas crônicas. Mas tem horas que você fica com vergonha ,e tem que ir na casa do vizinho desabafar. Tipo falar na terapia o que você não tem coragem de falar em casa.

E também gostaria que essa mensagem chegasse pra mais garotas e garotos. Para se gostarem, procurarem ajuda. E para fechar os ouvidos pra quem não importa. Eu continuo na batalha, tentando ser livre das correntes da sociedade. Porque eu cansei de me esconder de quem me conheceu magra, porque eu cansei de ouvir ‘você era tão bonita, o que você fez?’. Eu só engordei, eu não matei ninguém.

Então só por hoje, eu tento não escutá-los. Só por hoje eu tenho procurar meu caminho pra ser feliz com meu corpo.

Raquel Link”

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Eu agradeço pela valentia, Raquel.

Gostaria de fazer um apelo para que pensemos sobre nossos julgamentos, pois não sabemos o que está acontecendo na vida daquele ser humano que estamos diminuindo e dizendo que “não tem força de vontade”. Força de vontade não se mede pelo tamanho do corpo, mas sim pelos nossos recursos de enfrentamento e pela coragem de vencer os desafios que poderiam nos destruir: luto, doença, perdas, decepções, incompreensão e falta de acolhimento.

A compulsão alimentar é um problema de saúde muito sério e a pessoa precisa de empatia, apoio, ajuda. Diminuir, ridicularizar e julgar não leva ninguém a lugar nenhum. Vale lembrar também que esses problemas podem ser sanados SIM, porém a longo prazo e com muito esforço. Transtornos alimentares não se resolvem da noite para o dia e ninguém tem o direito de dizer que passar por uma dificuldade é falta de “vergonha na cara”. Ter um transtorno alimentar não é sinal de fracasso e não é sinal de fraqueza.

Raquel, você vai superar as dificuldades. Cada vez mais. Não tenho dúvidas. Você é uma guerreira, e tenha certeza: o valor de um ser humano não se mede pelo IMC, muito menos por “quantos quilos faltam para ser perdidos”. O peso corporal pode flutuar sim, por diversas razões, mas isso nunca poderá modificar ou definir a pessoa que você é!

Acredite no seu marido, que esteve ao seu lado em todos os momentos e aceita o melhor e o pior, o bom e o ruim.

E se você, que lê o Blog, estiver passando por um transtorno alimentar: busque ajuda, não perca a fé e não se deixe abalar por concepções cruéis e preconceituosas.

raquel novo

(Raquel antes e depois do seu problema de compulsão)

Anúncios

5 ideias sobre ““Só por hoje.”

  1. Kelly

    Compreendo inteiramente a história da Raquel. Essa cobrança é absurda.
    Pesei 98 quilos, eliminei 25 em 1 ano, mas ainda tenho sobrepeso pois meço 1,66. Escutar as pessoas se aproximando pra saber o que vc fez e depois o comentário de que ainda precisa emagrecer um pouco mais é desanimador. Tanto quanto é desanimador tomar um sorvete e escutar: – Ó, assim vai voltar aos 100 de novo!
    As pessoas se acham no direito de julgar as outras pelo tamanho do manequim e na cabeça de alguém que não sabe muito bem quem é e o que quer, esse comentário faz um estrago. Sei bem porque quase sucumbi a isso e cheguei a pensar se adiantava ter eliminado 25 quilos e ainda não pesar os 65 que a “sociedade” exige de mim. Só com terapia e uma boa dose de Fo$# -se é que consegui enxergar que eu sou maior que tudo isso e sou uma heroína porque perdi 25 quilos de gordura, mesmo com hipotireoidismo e compulsões frequentes. Os 73 quilos que meu corpo carrega são a mostra do quanto eu sou guerreira e do quanto sou forte.

    Raquel, parabéns! Quem constrói a nossa auto estima somos nós. Você também é uma guerreira e é vitoriosa. Acredite no que diz seu marido que mostrou que te ama de qualquer jeito e foque em você, no cuidado com sua saúde. Eu sempre ouvi muito a opinião alheia, mas junto com os 25 quilos a paciência pra isso se foi. Acredite, dar uma bela resposta a um comentário preconceituoso faz um bem danado ao ego.

    Boa sorte! Beijos

  2. Katia

    Raquel, vc é uma menina linda e corajosa!!!! Vc agora está saudável e isso é o q verdadeiramente importa. Seu marido e o amor dele por vc, isso importa. A sua força de vontade, o seu esforço, isso importa. Sei perfeitamente q não é fácil ouvir críticas maldosas, q abala a autoestima de qq um ouvir das pessoas q amamos (e q deveriam nos amar e apoiar) mas vc é sim uma vitoriosa. Enfrente-os, Raquel, como vc enfrentou a obesidade, mande-os calar, não permita q falem de dietas ou de quanto falta (na cabeça deles) pra vc emagrecer, enfrente-os. Seja com respostas diretas e malcriadas, seja com evasivas e delicadeza, mas não permita q tripudiem de vc, levante a cabeça! Vc eliminou 35Kg, quem faz isso é forte, corajoso e obstinado. Lembre-se disso, faça-os saber disso!
    Continue corajosa, Raquel! Parabéns pela sua história e obrigada por compartilhar conosco!
    Um abraço virtual, mas cheio de carinho.
    Katia

  3. Andrea

    Gente, é a Escrevo Por Comida! :3

    Tenho acompanhado o blog da Raquel há pouco tempo (e me sentindo BFF, haha), mas nem imaginava essa história dela. Horrível quando as pessoas te vêem como uma característica e não uma pessoa, com sentimentos e inseguranças. A sociedade te julga o tempo, não importa como você é. 😦

    Mas a gente tem que ter esperança de melhoras, né?

  4. RAQUEL BLOG ESCREVO POR COMIDA

    UAU. medo de ver o post. medo das reações. mas alivio pelo desabafo eu precisava. eu devia ter colocado a legenda nas fotos pra ficar mais claro. NA PRIMEIRA FOTO eu com 58 – 60 quilos, na SEGUNDA foto eu com 85 quilos hoje, e na ULTIMA FOTO eu com 120 em pela ultima vez se deus quiser em 2011. obrigado pelo post. e obrigado pelos elogios. e realmente PROCUREM AJUDA.ninguém merece sofrer sozinho. ESTAMOS TODOS JUNTOS.

Os comentários estão desativados.