Gordofobia: apenas não.

Me sinto movida a escrever esse texto por causa de uma situação que atingiu uma pessoa que eu conheço e o episódio foi completamente cruel, injusto e desnecessário: gordofobia.

Os pormenores do episódio não vêm ao caso, mas basta saber que uma pessoa gentil, talentosa e absolutamente inofensiva sofreu preconceito e foi diminuída por causa de uma característica corporal: ser gorda.

Vejam bem. As inclinações de caráter, atitudes, valores, opiniões não foram, em momento algum criticados. Nada disso.

Alguém por aí se sentiu legitimado a humilhar um outro ser humano levando em consideração um único critério: gordura corporal.

gordofobia

O que pergunto é: quantas vezes nós já vimos isso acontecer? Quantas pessoas por aí reproduzem o mesmo discurso, como se magreza fosse arma de combate ou sinal de superioridade?

Vamos pensar por um momento no quanto isso seria criminoso/preocupante se o motivo da discriminação tivesse sido a cor da pele.

Todos sabemos o quão abominável é a ideia de que pessoas brancas seriam, de alguma maneira, superiores às negras… por mera questão de característica física.

(“por que cor está nos separando?”)

Então por que ridicularizar, diminuir, julgar e menosprezar pessoas gordas seria menos criminoso/preocupante/abominável?!

Nós temos a prerrogativa de: perpetuar ou combater o preconceito. Questionar ou reproduzir.Assinar embaixo ou protestar. Está nas nossas mãos.

Cada vez que fazemos piadinhas sobre emagrecimento, dieta, “recalque dos inimigos”, pelancas, peso corporal, tamanho de roupa, “ficar bem na foto”, projeto isso & projeto aquilo, “motivações” que diminuem uma constituição física para enaltecer outra, rimos e compartilhamos aquele hilário vídeo da ~gordinha~, policiamos o prato alheio, justificamos nossas “gordices”, celebramos coletivamente pessoas famosas unicamente por sua forma física… Cada vez que isso acontece, estamos reforçando um modelo cultural que privilegia pessoas magras e marginaliza gordas.

10636924_681233125301928_1595376946569082348_o

(Nutrição Sem Modismo já sugeriu: use o FILTRO!)

A questão aqui não é preocupação pela saúde de ninguém. Cada indivíduo adulto que fique responsável pelo seu prato de comida e pela manutenção da sua própria saúde. Sabe quem está pedindo nossa opinião sobre corpo, almoço ou o número do manequim? Ninguém.

Precisamos largar mão de ser tão terrivelmente enxeridos.

Também é preciso lembrar que fazer comentários sobre a compleição física alheia sem saber o que está ocorrendo na vida do outro pode ser indecoroso, insensível e indelicado. Se você não sabe por que o seu/sua colega de trabalho ganhou/perdeu peso de maneira perceptível recentemente, então é melhor deixar de meter o narizinho. A questão pode envolver depressão, luto, gravidez (desejada ou não), problemas familiares, transtornos alimentares ou mesmo doenças graves que a pessoa não está com vontade de discutir com você.

(Desculpe a inconveniência!)

Outra coisa: pegue essa sua crença de que “é gordo quem quer” e que a pessoa “não sai dessa situação porque não tem vergonha na cara” e coloque numa caixa junto com:

– sua falta de conhecimento sobre metabolismo.
– sua falta de conhecimento sobre genética.
– sua falta de conhecimento sobre fisiologia humana.
– sua falta de noção da existência de diferentes constituições físicas.
– sua falta de entendimento sobre afetividade e questões emocionais/psicológicas.
– sua falta de noção sobre realidade social e fatores socio-econômicos.
– sua falta de noção sobre determinantes de saúde.
– sua falta de empatia.
– seus padrões rígidos de julgamento.
– seu preconceito e mente engessada.
– seu egoísmo e crueldade.
– seu espírito medieval e obscuro.

Guardou? Tá tudo na caixinha? Ótimo.

Agora exploda a caixa. Vá embora. Não olhe pra trás. Você está livre.

Anúncios

10 ideias sobre “Gordofobia: apenas não.

  1. Pingback: Vamos deixar as pessoas em paz | Biscate Social Club

  2. RAQUEL BLOG ESCREVO POR COMIDA

    sem brincadeira gordofobia deveria virar crime.lembro de uma entrevista do ROBERTO JUSTUS dizendo que entre duas pessoas com curriculo igual ele contrataria o magro porque gordo mostra desleixo consigo mesmo e ia ter desleixo no trabalho. nao ia ser bem sucedido faustao e jo soares e oprah mandaram um abraço neh?

    ps: voce recebeu meu email? com texto? sobre aquela questão da participação no blog? desabafei tanto no texto, meio ansiosa heheh desculpa qualquer coisa.

  3. Eglen Sganzerla.

    Endosso e assino embaixo. Pior que a ignorancia, é cultuar o preconceito. Coitadinhos….eles sabem o que fazem, mas não aprendem. bj.

Os comentários estão desativados.