Porque guias de forma corporal são ruins para as mulheres.

shutterstock_191612918-500x375c

Se você já leu uma revista feminina, provavelmente já cruzou com um: o terrível guia de formas corporais.

Estou falando dos artigos “úteis” que relacionam corpos femininos com maçãs e pêras e assertivamente “sugerem” o que devemos e não devemos vestir, com base na fruta ou objeto inanimado ao qual seu corpo alude. Coisas do tipo: “se você é pêra, não use saia reta. Se você é tábua, use sutiã com bojo. Se você é maçã, não use shorts.” Os piores guias são aqueles que sugerem que se você não é tamanho 36-38, esconda seu corpo inteiro.

Qual o propósito desses guias, além de fazer com que nos sintamos inferiores? Eles ditam rótulos inúteis e nocivos, trancam o corpo da mulher numa pilha de categorias, ditam regras rígidas para vestimentas e fazem todo mundo – não importa o formato – se sentir desconfortável em relação ao seu tamanho.

Um catálogo de moda praia de uma certa revista forjou meu desgosto definitivo pelos guias corporais. Ele basicamente sugeriu que todas as mulheres gordas desistam do biquini e optem por maiô. Ao invés de usarem modelos, usaram “mulheres reais” que encontraram na praia. E de modo cruel, eles convocaram uma moça feliz, sorridente e magra que vestia um top tomara-que-caia e disseram que ela não podia usar aquele tipo de biquini porque era do tipo “tábua”  e por isso, deveria usar a parte de cima com bojo. “RESOLVIDO!”, proclamaram orgulhosos, removendo a tarja preta do rosto da moça na foto do “depois”. Que diabos necessitava ser “resolvido”? O que há de tão ofensivo em seios pequenos? Por que ela não pode se orgulhar do corpo que tem e usar o tomara-que-caia?

Tudo o que os guias de forma corporal fazem por nós é fazer com que nos sintamos mal para que compremos os produtos que a revista está empurrando. Eu compreendo que para algumas pessoas os guias podem ser úteis, mas a sua mensagem é restritiva. Nenhuma revista pode prever como você fica bem com uma peça de roupa – se vestir bem tem muita relação com como você se sente, e isso é algo que nenhuma tabela pode medir.

Na minha perspectiva, os guias de forma corporal estão LITERALMENTE objetificando mulheres ao reduzi-las a objetos inanimados. Somos muito mais do que nossos corpos e seus formatos, e certamente somos mais do que frutas, tábuas, ampulhetas ou qualquer outro item que você possa achar num estudo do século XIX. (Sério, daonde tiraram essas coisas?)

Então este é o meu guia definitivo:

SE VOCÊ TEM FORMATO DE PESSOA, parabéns, você tem um corpo!

TIPO

(Ou talvez você possa ser um pônei…)

Pode não ser um guia tão detalhado para escolher roupas, mas quem precisa disso afinal de contas? Ninguém deveria nos dizer como vestir. Ninguém deveria nos definir pelo nosso “formato”. Ninguém deveria policiar nossos corpos de forma alguma, e para mim, isso inclui guias que determinam o que podemos ou não podemos colocar neles.

(Tradução do texto “Why Body Shape Guides are Bad for Women”, de Almie Rose… E a parte do pônei é um pequeno adendo da autora =P )

Anúncios

4 ideias sobre “Porque guias de forma corporal são ruins para as mulheres.

  1. Irianne Veloso

    Na real? Me sinto péssima por ser um triangulo (ombros largos, quadril pequeno, cintura pouco marcada) e esses posts em blogs de moda etc etc fazem eu me sentir muito mal! Conheci seu blog hoje e já estou gostando muito! Parabéns, viu?

  2. Mameha

    Confesso que peguei algumas dicas do Esquadrão da Moda no caso de roupas que me machucavam, e aprendi algumas coisas sobre o corte da roupa, o caimento, etc., pra evitar que a roupa machuque. Depois eu me sentia toda cortada, cheia de marcas no corpo, porque a roupa simplesmente não estava me vestindo de maneira adequada.

    Mas que ele está repleto de cagação de regra no corpo das pessoas, ô se tá. A intenção seria de fazer as pessoas se sentirem bem e no fim e só mais do mesmo. É uma revista feminina em formato televisivo. 😦

  3. Andrea

    “Ninguém deveria nos dizer como vestir. […] Ninguém deveria policiar nossos corpos de forma alguma.”

    Eu peguei um ÓDIO desses programas estilo Esquadrão da Moda que meu sangue deve até ferver quando lembro. Teve um deles que “reclamava” da calcinha que marcava a calça da mulher e “””recomendava””” que ela usasse fio dental pra não passar por esse constrangimento. Putamerda, constrangimento pra mim é alguém ficar olhando pra minha bunda e notar que minha calcinha está marcando. Não vou usar algo totalmente desconfortável (pra mim, OK) pra agradar esteticamente.

    Eu comprei a roupa, eu paguei, o corpo é meu e sou eu que vou vestir; quem é mesmo que tem gostar ou não?

Os comentários estão desativados.