Vamos falar de coisa boa?

Nessa semana eu recebi este texto super bacana da Helena, do Blog Garotas Rosa Choque, sobre “Diet Talk”.

Então eu fiquei pensando no valor que damos para fita métrica, balança, número do jeans… E como isso pode penetrar nas mentes como uma erva daninha tóxica, tirar todo o oxigênio disponível e todo o potencial para outros tipos de ideias e desejos.

Uma vez eu estava fazendo um trabalho educativo no Mercado Municipal e uma mulher parou para conversar comigo. Ela tinha algumas dúvidas sobre dietas da moda e emagrecimento de modo geral. Conversa vai, conversa vem e ela num determinado momento me disse:

– Eu já fui bem mais magra, sabe moça? Mas o que aconteceu foi que eu não aproveitei a minha época de pessoa magra. Eu deixei passar e foi um momento que eu não vivi.

“Aproveitar a magreza”? Oi?

Acho que o que a pessoa quis dizer foi que: ela descobriu que a promessa de satisfação plena e vida perfeita vendida junto com a imagem de corpos midiáticos emaciados…era mentira.

A vida é aquilo que está acontecendo agora. Seja você gordo, magro, rico ou pobre. As contas continuam chegando, os relacionamentos continuam difíceis, continuamos a mercê das artimanhas do universo e seguimos batendo o dedinho na quina.

A questão não é que a moça não “aproveitou” a magreza dela. A questão é que o emagrecimento não abre as Portas da Esperança.

(Hum.. Não.)

Não vai chover glitter. Você não vai receber tickets para uma viagem com tudo pago para Aruba. A celebridade dos seus sonhos não vai bater na porta da sua casa te convidando para jantar.

O número do seu jeans modifica os fatos da vida em… nada.

Olha gente, tem muitas pessoas falando de dieta. Sem parar. E o que me chama a atenção é que as pessoas absortas no discurso… Não precisam de restrição alimentar.

O médico te disse para controlar o peso?
Você tem cardiopatias?
Você tem diabetes?
Você tem alguma alergia ou intolerância alimentar?
Você tem algum motivo válido para restringir a alimentação?

Não?!

Então: não há necessidade de fazer dieta!

Fomos coletivamente ludibriados pela ideia de que é possível “escolher” o nosso peso e nossa constituição física. O que simplesmente não é verdade.

Se o seu organismo está equilibrado, livre de desordens metabólicas e se satisfaz com um determinado volume de comida: deixe-o em paz.

Qual a necessidade de cortar o arroz com feijão do prato, ficar com confusão mental, letargia e raiva crônica da vida numa tentativa de modificar o corpo que irá durar dias (…e depois viver a frustração de não conseguir, para depois começar tudo de novo)?

A “força de vontade” e o “poder da mente” não são maiores do que seus comandos fisiológicos para manter seu corpo como ele é. É um esforço que não vale a pena, estressa e confunde o metabolismo.

Estou fazendo estágio no hospital e vejo tantas pessoas doentes que gostariam de comer livremente… e não podem. Porque têm problemas graves de saúde. E quem tem saúde de sobra para comer de tudo, se nega!

E outra, como dito pela Helena no Blog dela: DIET TALK… gente. Não.

“Girls, vamos falar de cinema, de séries, de viagens, de cachorrinhos, de gatinhos, da boniteza da vida. Vamos nos indignar com tudo que tá errado no nosso país e no mundo! Todo esse vácuo aí no cérebro que é desperdiçado pensando em dietas, vamos preencher com ideias, com questionamentos, com unicórnios e algodão doce!”

Unicórnios e algodão doce, por favor! Acho mais que justo!

(Nham!)

Chega de falar de dieta, Brasil!

Vamos falar de coisa boa?

Vamos falar sobre como este Pug estava dançando livremente e foi surpreendido pelo seu dono?

Vamos falar sobre este arco íris duplo cruzando o céu?

Vamos falar sobre como este pequeno lagarto desafia as leis da física?

Enfim, as possibilidades são infinitas, gente!

#NODIETTALK …. Vamos falar sobre _______________ ? (complete aqui).

Anúncios

5 ideias sobre “Vamos falar de coisa boa?

Os comentários estão desativados.