No exterior da pequena residência.

Nessa semana uma companheira de curso me enviou esta imagem:

1470430_696554283766064_2142795808_n

Esse tipo de coisa abunda no App Secret. No Facebook. No Instagram. Na boca do povo. Já precisei ouvir essa piadinha tão salutar muitas vezes.

Pois bem. Só porque todo mundo fala, não significa que é um fato verdadeiro. Já discuti sobre isso anteriormente, mas hoje estou sem paciência para ignorar besteiras.

Hoje não.

Parem, caras.

Apenas parem. Porque:

A afirmação “nutricionista gorda não tem o meu respeito” é fortemente fundamentada na ignorância. Ignorância sobre: fisiologia, genética, fatores sociais, economia, política, comportamento humano, alimentação e reais atribuições do profissional nutricionista.

Quando você OLHA para alguém, não há como afirmar que a pessoa só come hambúrguer, bolo, cookies, geleia, rosquinha, pudim, pirulito, bala, chocolate, sorvete, batata frita, pizza, frango frito…

Há pessoas magras por constituição que comem um monte de hambúrguer bolo, cookies, geleia, rosquinha, pudim, pirulito, bala, chocolate, sorvete, batata frita, pizza, frango frito… E não engordam. E aí? Elas “perderam” o respeito? Não, né? Porque não é esse o problema. O verdadeiro problema é preferência estética. E preconceito.

Uma alimentação saudável engloba todos os tipos de alimentos. A questão está na quantidade e na frequência, não no alimento em si. Eventualmente podemos comer hambúrguer, bolo, cookies, geleia, rosquinha, pudim, pirulito, bala, chocolate, sorvete, batata frita, pizza, frango frito…Vida saudável não tem nada a ver com “cortar” tudo isso da alimentação.

Nem todo gordo é doente. Nem todo magro é saudável. Nem todo gordo é sedentário. Nem todo magro é ativo.

Pessoas não podem ser rotuladas como “relaxadas”, “esforçadas”, “disciplinadas”  , “incompetentes”, “boas ou más profissionais” com base no tamanho do corpo delas.

Nutricionista  ≠ pessoa emagrecedora de pessoas, com conduta alimentar perfeita e “corpo dos sonhos”. Se informe sobre a nossa profissão para não falar besteira.

Não seja um indivíduo ignorante e preconceituoso. Se for para perder o respeito por alguém, use argumentos que façam sentido.

Aliás… Que tipo de nutricionista tem o seu respeito? Ter uma alimentação restritiva e estereotipada à base de saladinha, grelhado e goji berry (ou mesmo o famoso frango com batata doce e Whey Protein), uma preocupação corrosiva com as dimensões corporais e ser um agente ativo do Fat Talking não é sinal de credibilidade e nem de saúde.

INSTA

(tudo pautado na ciência e no respeito, realmente…) 

O que você conhece sobre nutricionistas? Aqueles que você segue no Instagram? Que falam sobre dieta, proibições, alimentos industrializados DO BEM, corpo perfeito, consequências nefastas de faltar treino, batalhas épicas por uma  ‘barriga chapada’, terrorismo em cima de quem“jacar”,  traumas de pudim de final de semana, magros vencedores, gordos perdedores… e publicam Selfie + Frase do Gandhi? Adoradores de valores limítrofes de gordura corporal? Gordofóbicos? Preconceituosos? Ortorexicos?

Pessoas tão enlouquecidamente saudáveis que têm medo de sofrer uma mutação genética por causa de um salgado de padaria?

x men

Eu estou nos estágios obrigatórios, na reta final do curso, quase ficando louca com o stress, o sono e a falta de tempo, mas fiz questão de reservar uma tarde para fazer este completo infográfico sobre esse tipo de nutricionista que povoa o imaginário popular e nos contamina com ideias estranhas sobre saúde:

Eles estão fora da casinha. Observe a figura.

casinha

(Note como a pequena figura androide se encontra distante da sua pequena residência)

Ser magro & sarado, postar Selfie + citação da Clarice Lispector + fotos de pratinho light não são ferramentas para avaliar se um nutricionista merece seu respeito. Não se deixe levar por exibicionismo. Não esqueça que um profissonal precisa ser humano e ético. Observou o Instagram dele? Pois é.

Não estudei para passar dietinha para ficar  “Top” no verão. Não sou banca de revista.
Não tenho uma alimentação 100% saudável, imaculada e repleta de propriedades funcionais e antioxidantes. Não sou neurótica.
Não vou sair falando que não é para ninguém “jacar” (que palavra bobona…) no final de semana. Não sou polícia.
Não vou treinar em absolutamente todos os dias da minha vida. Não sou um robô.

Então, realmente… Não faço questão de ser uma “nutricionista de respeito”. E pouco importa se eu sou gorda ou magra.

Anúncios

10 ideias sobre “No exterior da pequena residência.

  1. allanapersonaltrainer

    O problema hoje é essa moda do fitness da dieta milagrosa e do valor que se dá ao corpo sarado, magro, forte.
    Eu não vejo nada de saúde nisso, as pessoas fazem uma dieta doida, cortam todo tipo de alimento, passam fome, usam anabolizantes ( fico impressionada em como aumentou o numero de mulheres que usam isso) tudo para ficar no esterótipo da moda.
    Eu tenho sorte que meus alunos são sossegados em relação a isso, porque na área de personal trainer a moda agora é ser trincada, rasgada e com todo respeito eu não vou ficar na dieta da batata doce e frango e usar sintéticos para agradar aos outros.
    Viva o padrão atual que faz hoje vítimas que não buscam a saúde, mas sim a estética e a aceitação dos outros

  2. Júlia Meirelles

    Sensacional. De novo: sensacional. Eu não canso de achar os seus textos sobre isso os melhores que eu já li. Finalmente alguém saindo da bolha #nopainnogain (já escrevi no último comentário o quanto eu ODEIO essas hashtags, né? mas só pra constar de novo: eu odeio. do fundo da minha alma!).
    Um beijo e sucesso!

  3. Julianatsume

    Lendo seu texto, me lembrei do Fernando do programa Bem Estar. Ak em casa haja paciência com minha família que vive dizendo que um cara gordo como ele não deveria apresentar um programa sobre saúde, diferente da Mariana, essa sim um bom exemplo, por ser magra e atlética.
    Eu faço a minha parte e banco a chata mesmo, eles podem até não mudar de opinião, mas saberão que alguém discorda disso. Esse tipo de coisa me cansa.

  4. Aline

    Confesso que por um tempo (curto), segui algumas “nutris” e essas “musas fitness” no Instagram. Meu grau de depreciação com meu corpo aumentou drasticamente, até um dia me irritar e deixar de seguir todo mundo. Eu não consigo almoçar tapioca todos os dias, não consigo nem fazer suco verde todas as manhãs, não acho mirtilo na minha cidade. Só conseguia me achar fracassada por não seguir tudo isso. E por comer meu normal arroz e feijão.

    Queria encontrar uma nutricionista como você por aqui. Uma pessoa humana e normal.

    Beijos e parabéns, mais um texto sensacional!

Os comentários estão desativados.