E se não houvesse amanhã?

Já vi muitos “Memes” na internet dizendo a seguinte frase:

“Um sonho: comer sem engordar”

(Sou uma mulher. Deixe-me fora disso. Estes não são meus sonhos.)

Toda vez que vejo essas figuras, fico pensando que se isso fosse possível, tudo perderia a graça. O sentido. A representatividade nas vidas de quem “luta” contra o próprio corpo.

E se de fato, hoje, fosse lançada no mercado uma pílula emagrecedora eficaz e 100% livre de efeitos colaterais? E todos ficassem magros e com o “corpo dos sonhos” num passe de mágica?

10485333_493465187454750_1397562325948335953_n

Do que iríamos reclamar? Que dieta nova iríamos buscar? Que celebridade iríamos invejar? Quais defeitos iríamos caçar?

Arrisco um palpite: a humanidade continuaria sendo infeliz. E desviaríamos nossa miséria para outros tipos de drogas e comportamentos compulsivos. Porque a resposta não está em atingir um corpo perfeito.

Muitos educadores, jornalistas, profissionais da saúde e entendidos (ou não…) em geral costumam afirmar que “A Obesidade é o Mal do Milênio”.

Já eu, acho que o padrão de pensamento está invertido.

A obesidade é o SINTOMA de uma sociedade profundamente desajustada. Por isso, creio que não atingiremos a suprema paz mundial por meio de um emagrecimento de coletividades.

** NOTA IMPORTANTE **

Sabemos que a obesidade é um problema de saúde. Não estou sugerindo que obesos se mantenham obesos. Também não estou sugerindo que todos se aninhem nos seus sofás para comer Fast-food. Grata.

 

Aliás, muitos padrões de pensamento estão invertidos:

Achamos que encontraremos o amor…. nos odiando.
Achamos que nos aceitaremos… nos rejeitando.
Achamos que encontraremos a plenitude… nos privando.
Achamos que teremos paz… nos torturando.

Algumas pessoas já me relataram que um sonho é poder “comer se como se não houvesse amanhã

…E se não houvesse amanhã?

No filme “O Feitiço do Tempo”, Bill Murray tem essa oportunidade! Porque ele fica preso num único dia da vida dele, que se repete sem parar.

Na cena abaixo ele decide comer como se não houvesse amanhã! Afinal, ele pode.

O que acontece? Ele se aborrece. A brincadeira perde a graça muito rapidamente. Porque não há a culpa, a transgressão, a rebeldia, o tabu, o proibido, a autopunição. Nada. Não há consequência nenhuma para seu ato.

Essa grande mística que criamos em torno dos alimentos malvados que vão nos engordar e do corpo que desejamos, porém não podemos ter, está longe de ser O PROBLEMA de nossas vidas. Tudo isso é reflexo de problemas afetivos muito mais profundos.

Afinal… E se não houvesse amanhã? E você pudesse, de fato, comer o que quisesse sem freios e nem culpa… Ficaria tudo resolvido? Seria o fim do drama existencial?

Dificilmente.

Anúncios

4 ideias sobre “E se não houvesse amanhã?

  1. livia linardi

    Apenas duas palavras: sensa-cional!
    Simplesmente pq a felicidade não está no brigadeiro infinito nem corpão magro e perfeito…
    A felicidade vem de dentro, sempre. Ainda bem =)

Os comentários estão desativados.