“De quando parei de mentir para mim mesma”

Esta crônica foi enviada pela leitora Débora Consiglio, eu gostei bastante:

Debora

“Fui criança na época em que as loiras comandavam as manhãs e tardes televisivas: Xuxa e suas botas brancas, Angélica indo de táxi. E eu toda Glorinha Pires com meu cabelo channel escuro e a pele morena que não despertavam nenhuma admiração ou comentários do tipo “Ah, como ela é linda”

Eu tinha apenas nove anos quando no meu aniversário um parente elogiou uma linda coleguinha (loira) na minha frente enquanto me lançava piadinhas pejorativas. Em um complexo bobo cheguei a culpar a minha família por não carregar uma genética parecida com a da minha amiga. Para que isso me serviria mesmo?

Para nada!Assim como ter tentado me convencer de que eu era uma pessoa sem talentos, rumo ou sentido. Mas os anos foram e continuam sendo mais sábios do que eu e me mostraram que em nossas particularidades somos todos lindos e poderosos.

Hoje quando olho para trás dou risada de tanta ingenuidade: Como pude culpar a mesma hereditariedade que me permite ter pais saudáveis e uma mãe exemplar e lindíssima por algo fútil como não ter o cabelo da mesma cor do de uma apresentadora de TV de quem eu nem gostava?

Não lembro quando começou, quando percebi que os anos que passei sem confiar em mim, na minha capacidade ou beleza foram muito mais que imaturidade, foram uma traição. Deixei que muitas vezes me dissessem que eu não era boa, merecedora ou legal o suficiente. Perdi um tempo precioso, que estou recuperando se permite a modéstia, da melhor maneira possível

Odeio guardar mágoas, não gosto de remoer decepções. E é claro que me perdoei e tenho me perdoado todos os dias por ter mentido por tanto tempo pra mim mesma. Quem achava a Xuxa linda ou a minha amiga mais atraente não teve culpa pelo que carreguei comigo durante esses anos. E nem eu. E me deixa muito feliz perceber isso a cada dia, pouco a pouco ( e ainda tenho muito a percorrer, a enfrentar, como todas nós)

Essa semana, minha mãe me disse “somos reflexos do amor que recebemos e muito mais do amor que damos” e mais uma vez ela teve razão: Hoje sou reflexo não do amor que achava que precisava esperar dos outros, mas do que eu passei a dedicar a mim mesma e que o maior dos espelhos, a minha vida tem refletido na relação que eu encontrei,no que eu faço, no que eu tenho me tornado.

E você, já pensou nisso? Se sabotou hoje de alguma maneira? Qual é o reflexo que você quer ver no espelho? A melhor verdade é aquela em que a gente se transforma quando para de mentir pra si mesmo.”

Seu depoimento é muito positivo, Débora! Todas temos direito de viver felizes e sem comparações com a imagem dos outros, esteja ela na TV ou não!

Muito obrigada por dividir a sua história. 🙂

Anúncios

6 ideias sobre ““De quando parei de mentir para mim mesma”

  1. Bruna

    Sensacional esse relato. Estou encantada com o blog! Quanto depoimento lindo, sincero e inspirador. Que todas aprendamos com o que lemos aqui!

Os comentários estão desativados.