História de Karol.

Acho que várias leitoras irão se identificar com o depoimento da Karol sobre suas flutuações de peso e sua dificuldade de auto aceitação. Ela mandou uma imagem para a Campanha “Eu também Não Sou”. Eu espero que a contribuição dela possa ajudar muita gente:

1624943_803485753001621_1332798271_o

Quando era criança, ela foi uma menina “sequinha” e era reconhecida por essa característica. As coisas mudaram quando foi diagnosticada com síndrome do ovário policístico aos 14 anos. Como precisou tomar contraceptivos orais e repositores hormonais, seu corpo começou a ganhar “formas de mulher” que ela não esperava e não conhecia. E ela se assustou. Os colegas de colégio também não ajudaram comentando “ – Nossa, como você engordou”. Esses episódios fizeram com que ela se sentisse desconfortável em relação ao próprio corpo.

Se matriculou na academia, desistiu. Passou a comer compulsivamente e engordou 10Kg. Após a primeira “dieta” que seguiu e perdeu alguns quilos, ficou viciada em maluquices. As dietas só contribuíram para as flutuações de peso.

Quando chegou aos 69Kg, quando estava no Ensino Médio, ficou depressiva. Faltou muitas aulas. “Eu só comia, dormia, chorava e não queria sair da cama. Eu não me amava mais.”

Ela sentia vergonha do corpo e perdeu as contas de quantas vezes deixou de sair com as amigas por causa disso.

A história continuou até ela ser aprovada no vestibular para Nutrição da UFPR, em 2010, com uma ideia na cabeça: “cuidar das pessoas para não passarem pelo mesmo que eu.”

“Mas quer saber?! Eu não dou a minima pro que os outros pensam! Esse ano fui à praia, sabe…

Depois de tudo que eu passei, tudo que deixei de viver, o tempo que eu perdi… Só hoje eu posso ver que não valeu a pena.
E não é só com meu peso: já gastei muito dinheiro com roupas, sapatos, festas, coisas que eu realmente não precisava… e pra quê? 

Pra nada. 

Eu sempre achei que as pessoas só iam gostar de mim se eu fosse bonita, magra, forte. Esqueça. Quando alguém lembra de mim, lembra de mim pelas minhas qualidades, poxa!”

NÓS GOSTAMOS DE VOCÊ, Karol! Do jeitinho que você é!

A autora de Não Sou Exposição agradece pela contribuição, e principalmente, por você ter ido à praia!!

😀

Anúncios

2 ideias sobre “História de Karol.

  1. Guiomar silva (@winfild33d)

    O seu blog me tirou de um poço ao qual eu mesma havia me colocado, como se me acordasse de uma anestesia, me ajudou a compreender que a imagem que eu tinha como ideal de beleza era pura e simplesmente uma mentira, só lhe faço um pedido não pare de escrever, muitas mulheres precisam de sua ajuda. Muito obrigada.

Os comentários estão desativados.