História de um cabelinho.

A pequena Tiana Parker tem 7 anos. Ela foi proibida de ir para a escola com ‘dreads’ no cabelo, em Oklahoma pois seu penteado foi considerado inaceitável. A escola não aceita penteados afro, nem dreads e nem moicano… Pois considera que chama a atenção e é “modinha”.

SEPT. 8, 2013 PHOTO. ONLINE OUT; TV OUT; TULSA OUT

A âncora do canal SNBC Melissa Harris-Perry decidiu escrever uma carta para ela, que foi lida no ar no dia 09 de Setembro:

“Querida Tiana,

Sou eu, Melissa.

Tiana, te ver e ouvir chorar porque você não pode usar o seu cabelo do jeito que quer partiu meu coração. Primeiramente Tiana, não interessa o que sua escola ou outras pessoas te disseram – nós temos orgulho do seu cabelo – e você também deve ter, apesar da política da sua escola que determina:

“Penteados como dreadlocks, afros e outras modinhas são inaceitáveis.”

Para constar, Tiana, o seu cabelo não é chamativo, inaceitácel, uma modinha ou errado. Tiana, seu cabelo é maravilhoso. Você vem de um povo com uma linda gama de estilos e texturas que varia de curtinhos até volumosos afro que vêm em cores de cinza ao preto, cachinhos naturais e espirais de todos os jeitos só porque eles podem.

E você, querida Tiana, é parte de um povo que pode escolher usar dreads que representam uma rica história da cultura negra. Dreads agitaram na cabeça do mais inesquecível artista do reggae Bob Marley e algumas gerações depois, do rockeiro Lenny Kravitz, que usou esse visual no começo da carreira. A cantora e compositora Lauryn Hill combina seus dreadlocks com a beleza da sua pele de marrom profundo.

 É a mesma linda, profundamente marrom cor de pele que você possui, Tiana. Acima de todo, lembre-se disso: sua cor é linda.

E não esqueçamos da abelha-rainha: a atriz vencedora do Oscar Miss Whoopi Goldberg nunca deixou ninguém lhe dizer o que vestir ou como aparentar, e carrega os seus dreads há décadas. Mas se você quiser uma inspiração mais próxima da sua idade, você pode observar a jovem artista Willow Smith. Seja balançando o cabelo para frente e para trás, ou arrasando com seu cabelo bem curtinho, ela tem escolhas ilimitadas, não importa o que ninguém mais diga.

Da mesma maneira, a sua beleza e as suas escolhas são ilimitadas, querida Tiana. Então sua velha escola talvez deva reinventar sua política, porque ao invés de incentivar o uso de uniformes entre os alunos, está reforçando esteriótipos e prejudicando o senso de identidade dos estudantes.

E parabéns para a sua mamãe e o seu papai – o barbeiro que sente muito orgulho do seu cabelo – por terem te retirado dessa escola que não celebra a sua filha.

Então essa é a mensagem de MHP a você, Tiana, e para todas as criancinhas negras que agitam seus cabelos em tantos estilos diferentes: Você é perfeita, do jeito que é. Não fique confusa, quando você está na escola, o que tem dentro da sua cabeça é muito mais importante do que está na sua cabeça!

Sinceramente,

Melissa.”

 

Fiquei muito feliz com a manifestação a favor dessa criança, e espero que a pequena Tiana continue balançando seus cabelinhos por aí igual à Willow Smith.

É legal também sabermos que a ex-escola da Tiana mudou a política em relação aos uniformes e pediu desculpas pelo ocorrido. 

Sorria pequena Tiana, você é linda!

Anúncios