“Sweet Lorraine”

Após sentirmos uma sensação de desesperança pela humanidade com as notícias sobre Robin Thicke e o hit Blurred Lines, Miley Cyrus “fazendo história” (aparentemente uma ex-estrela infantil do canal Disney seminua se esfregando num cafajestão que acabou de ficar famoso é uma coisa importante para o curso da história. Ou algo nessa performance, de alguma maneira que eu não compreendo, foi novo).

Tudo o que acontece dentro do contexto cultura pop/mídia é decepcionante e reducionista na representação do que significam relações humanas reais.

Até que ISSO acontece:

 Viúvo de 96 anos escreve música para mulher e vira hit nos estados unidos.

Fred Stobaugh, um idoso norte-americano, de Illinois. Ele escreveu a música para sua mulher, Lorraine, morta aos 91 anos em abril deste ano, depois de passar 72 anos casada com Fred.

Um estúdio chamado Green Shoe resolveu promover um concurso on-line para encontrar novos cantores e compositores na região. Fred chamou a atenção porque, em vez de mandar um vídeo ou um arquivo de si próprio cantando, enviou uma carta contando sua história. [SIM…ele não usou o twitter e nem um smart-phone. Ele MANDOU UMA CARTA. Sim. É possível para os seres humanos a comunicação deste modo, ou mesmo através de uma coisa fantástica e em extinção no mundo chamada DIÁLOGO. Incrível hein. Mas é verdade.]

Uma história de mais de 70 anos de casamento. Uma parceria feita de amizade e pequenas ações no dia-a-dia. Uma prova de que nem tudo na vida é glamour, dinheiro, poder, sexo, lógica mercadológica, prazer irrefreado, consumo, inconsequência, supercialidade e trocas de experiências pessoais instantâneas.

 

Desconfio que é DESSAS COISAS que a vida verdadeiramente é feita. Temos muito o que aprender.

=)

Anúncios