COMO ESCOLHER A ROUPA CERTA.

dress_for_your_size

Anúncios

4 ideias sobre “COMO ESCOLHER A ROUPA CERTA.

  1. Candi

    Sinceramente, eu acho que cada um é livre para ser aquilo que quer ser. Somos livres para escolher aquilo que queremos vestir, mesmo que as vezes nos nao nos entendamos com os nossos espelhos, mas e daí? Estamos felizes com a auto-estima no lugar que sempre deveria estar.
    Agora nao é justo que milhares de mulheres morram em mesas de cirurgia plástica, que adolescentes deixem de comer e tornen-se desnutridas muitas vezes alguns não querem comer e alegam que já fizeram a refeição (tornando se mentirosas compulsivas).
    Um adoecimento inconsciente coletivo … excesso de atividade física, numa busca incessante de um corpo magro e nem um pouco saudavel.
    A mídia criou um padrão estético que determina que a mulher para ter um ‘corpo perfeito’ precisa ser magra e ter o corpo definido. Mas e nós seres mortais que nao ganhamos fortunas e nao temos condicoes de fazer todos aqueles tratamentos “milagrosos” caros? E outras tantas que possuem alguma doenca que nao permite emagrecer?
    Fora as milharesde dietas malucas com promessas absurdas, o mercado do emagrecimento da busca do corpo perfeito rende milhoes e milhoes isto com certeza é conveniente para alguém, ou vc acha que nao?
    Envelhecer é mérito, quem nao envelhece morreu cedo… Somos livres e por sermos livres temos o direito de usar a roupa que podemos comprar e que gostamos e queremos usar.
    E no mais, voce só será tratada com mercadoria sexual se nao souber se dar o teu próprio valor. Afinal, só nós mesmo podemos dar limites para outras pessoas em relacao como se comportam/agem conosco mesmo.
    OU será que só falei bobagem aqui?

  2. ....

    Repito: “vista-se como te faz bem”…isso inclui calça de pijama, um vestido de bolinhas ou uma jardineira xadrez.

    ISSO é o que está sendo dito.

  3. Não sou Exposição. Autor do post

    Este não é um post sobre objetificação. Este é um post sobre ROUPAS.
    Eu não disse: “se auto-objetificar” é seu direito.
    Eu disse: ESCOLHER suas roupas é seu direito.

    É seu direito por ESCOLHA SUA, e não porque uma revista Blabla explica qual é “a roupa certa” para você. Toda pessoa adulta está capacitada para escolher qual é a roupa que deseja usar. Por causa da temperatura do corpo, do conforto, da maleabilidade,da cor… ou por causa da estampa do Bob Esponja.

    USAR. VESTIR. ROUPAS. AQUELA QUE TE APETECE. Em momento algum entrei no mérito da “mercadoria sexual”. Ou “se vestir como uma”.

    Eu não disse “vista o micro-biquini”. Eu disse: vista o biquini. O BIQUÍNI. Micro-biquini-sensual-para-que-homens-te olhem: NÃO. Apenas biquini.

    Simplesmente porque TODAS as mulheres do planeta têm direito de ESTAR NA PRAIA. (não, nada relacionado com propagandas de cerveja)

    Se fui mal interpretada, sinto muito: o assunto aqui, ABSOLUTAMENTE, não é esse.

  4. Maria de Lourdes

    Bom,é neste detalhe que tudo quo que foi dito neste blog contra objetificação feminina perde seu valor….é a tradicional contradição feminista: a auto-obejetificação feminina é um “direito da mulher”.Reclamamos que os homens nos vêem como mercadorias sexuais mas se vetsir como uma é “noso direito”.Se formos seguir a lógica,então,não há nada demais nas dicas de paquera da Axe,já que as mulheres tem o direito de usar e abusar de decotes,não é? Ou vão dizer que nos vestimos “sensualmente” para nosso bem estar e seduzir outras mulheres? Se nós achamnos um direito usar micro-biquine,as cervejarias deveriam ser punidas por terem mulheres em micro-biquines em suas propagandas? Será mesmo que é só uma questão de “contexto”,como muitas falam?

    Pior que é uma sunto sempre tratado como tabu pelas feministas,pois lá vema quele papo de “burca”( mesmo que essa nunca tenha sido citada como solução para o quadro exposto),ou senão com coisa pior: alegar(ou seria acusar?) quem fala de estar defendendo estupro.

    Por iso que nada se resolve,por isso que muitas revindicações nossas são levadas na piada,pelo simples fato de nos contradizermos.

Os comentários estão desativados.