Um tanto hipócrita…

Recebi outra contribuição:

http://www.zupi.com.br/agencia-de-modelos-faz-campanha-contra-anorexia/

“Agência de modelos faz campanha contra anorexia.”

Não sei muito o que dizer, então acrescento uma lista de algumas modelos que morreram em decorrência dos transtornos alimentares:

  1. Ana Carolina Reston. A modelo brasileira fez trabalhos de sucesso para designers como Dior e Armani. Ana Carolina tinha 21 anos quando perdeu uma batalha de anos contra a anorexia nervosa e a bulimina, em 15 de novembro de 2006. Ela se alimentava de tomates e maçãs, e morreu de falência renal, com um IMC (índice de massa corporal) de 13,5.
  2. Maiara Galvão Vieira. Maiara tinha 14 anos, e era aspirante à modelo. Morreu de  parada cardíaca em 10 de janeiro de 2007. Quando morreu, seus pais diziam que ela não tinha forças nem para subir as escadas de sua residência.
  3. Hila Elmalich. Modelo israelense, morreu de falência cardíaca no dia de seu aniversário de 34 anos, em 14 de novembro de 2007. Ela perdeu uma batalha de 21 anos contra a anorexia nervosa. Quando morreu, seu IMC era de 9,7. A carreira de modelo começou junto com sua doença… quando tinha 13 anos.
  4. Eliana e Luisel Ramos. Possivelmente o caso mais triste de mortes por anorexia nervosa entre as modelos. As modelos Uruguaias Luisel e Eliana Ramos tinham, respectivamente,  22 e 18 anos de idade quando morreram das complicações resultantes dos transtornos alimentares. Elas eram irmãs, e tiveram um espaço de 6 meses entre as suas mortes. Luisel morreu no dia 2 de agosto de 2006 após terminar sua performance na passarela na Uruguai Fashion Week. Morreu de falência cardíaca, ali mesmo, na passarela. Seu pai contou que ela havia ficado sem comer por vários dias. Eliana, sua irmã, morreu 6 meses depois por um ataque cardíaco decorrente de severa desnutrição.

Estes são alguns casos. Só alguns. Há muito, muito mais histórias como estas. Os responsáveis pelas mortes? As agências de modelos. O padrão que é cobrado. A pressão para emagrecer.

Um dos motivos pelo qual isso acontece, é o custo de produção das roupas.
Pouco tecido = menos dinheiro. E as modelos têm de “se virar” para entrar nas roupinhas. As exigências de proporções corporais são CONTRATUAIS.

Portanto… Uma campanha absolutamente hipócrita, e de muito mal gosto. O anúncio diz “você não é um rabisco”

Infelizmente…elas são, SIM.

Rabiscos, contornos, sopros, restos, vestígios, fragmentos…de garotas que não vicejam. Definham. E morrem. Por dinheiro, por ilusões, por interesse alheio e por perversidade.

isso

Anúncios