O circo da estética

Meu Blog alcançou a casa das  5000 (yeah. Cinco mil) visualizações. Muito obrigada!

Porque o espartilho que nos tira o ar, que nos deixa tontas e aparvalhadas e nos faz “histéricas”… Está na nossa pele.

Porque somos vítimas de uma URGÊNCIA enlouquecida do “magra, bonita, jovem, sexy

Porque NÃO ACEITAMOS essas rédeas. Porque não queremos as algemas da estética.

Porque existimos para sermos MUITO MAIS do que um gracioso adorno para o mundo. Espaço de anúncio para cosméticos. Bonequinhas para agradar os homens. Porque não servimos para ficar olhando.

Porque meu coração deseja, aspira e grita por MUITO MAIS do que “ser gatinha e estar na moda”.

Porque não somos palhaças.

Tristes, insatisfeitas  e solitárias palhaças da lipoaspiração, da cirurgia plástica, do alisamento capilar, do bronzeamento artificial, da “dieta”, do botox, das “comprinhas”, do salto alto e dos cosméticos.

clown

NÃO. E repito para sempre: NÃO.

Passada a comemoração, sigo para o post:

Gosto muito dessa música “Que sera sera”, que tornou-se célebre na interpretação de Doris Day em “O Homem que Sabia Demais”, de Alfred Hitchcock  (1956)

Nessa cena, ela canta BEM ALTO, para que seu filhinho que foi sequestrado e está escondido, escute. Me emociona muito!

Katie Makkai transforma as palavras da música em um discurso de angústia, porque quando era adolescente teve de fazer uma rinoplastia que não queria. E ela critica a ditadura da estética. A ditadura da mutilação. A ditadura do “ser bonitinha.

FIZ QUESTÃO de traduzir e adicionar as legendas ao vídeo:

Anúncios

4 ideias sobre “O circo da estética

  1. Kamila Kerber

    Não consegui ver os vídeos (internet do capeta), mas eu adorei o post. Isso é realmente o que acontece hoje em dia. Digo, AINDA acontece hoje em dia. Nos sentimos presas nesse sistema, não é?

Os comentários estão desativados.