Gorda sem vergonha!

quote thinspo

“Tudo tem sua beleza, a questão é que nem todos podem vê-la por causa dessa substância nojenta no seu corpo comumente conhecida como gordura.”

Para começo de conversa, se você de alguma maneira concorda com a mensagem, sugiro a leitura DESTE POST. Gordura é uma substância NORMAL, e existe uma razão fisiológica para que ela esteja no nosso corpo. O excesso pode causar doenças. Mas o problema está no excesso, e não na gordura em si.

Esse pensamento foi plantado em nossas mentes como uma semente maligna. E assim funciona a “lógica”:

Quanto menos gordura no corpo, mais competente é a pessoa.

LÓGICA, na verdade não existe nenhuma. Trata-se de uma maluquice coletiva.

Essa ideia é causa de preconceito, e ao mesmo tempo que cria pensamentos estereotipados como “ser magra é estar de bem com a vida“, “vou emagrecer para ser feliz” ou “em todo gordo existe uma pessoa magra lutando para sair“, surgem as definições preconceituosas de uma “pessoa gorda”:

– fracassada;
– descontrolada;
– incompetente;
– preguiçosa;
– sem vergonha;

As mulheres sofrem ainda mais com essa cobrança. Porque além de todos os atributos morais do gordo, somos ensinadas que as mulheres têm a obrigação de fazer a manutenção da própria aparência. Ou seja: “Seja linda. Dê um jeito. E se você não é linda, a culpa é sua.”

ribcage
(“CONTINUE!! Você não pode aparecer na TV enquanto não pudermos ver as suas costelas”)

Como se a função das mulheres no Universo fosse: ser olhada pelos outros. E quanto mais “agradável aos olhos”, mais competente é a mulher. Pessoalmente, profissionalmente, emocionalmente falando, não interessa! O importante é “ser magra”.

DE ONDE FOI QUE TIRAMOS UMA IDEIA DESSAS? Que grande enigma…

Mulheres publi

Anúncios

4 ideias sobre “Gorda sem vergonha!

  1. Priscila

    Concordo com cada vírgula deste post… Acho que cada um tem que se aceitar como é. Alto, baixo, branco, negro, gordo ou magro. Se a pessoa não gosta de certa característica e possível mudá-la sem cometer nenhuma atrocidade consigo mesma, OU se a saúde da pessoa está em risco e ela precisa mudar para não sofrer de nenhuma doença futuramente, AÍ SIM eu aceito o fato da pessoa querer emagrecer, pintar o cabelo, se bronzear, etc. Agora, se a pessoa muda o próprio corpo o até o seu próprio estilo de se vestir por causa dos outros, por causa do que a sociedade vai pensar, por causa das celebridades das capas de revista, acho que isso é inaceitável. Eu nunca me importei com meu peso, nunca fui nem magra nem gorda. Porém ganhei 15 quilos nos últimos 3 anos e isso fez com que eu entrasse para uma faixa de risco com relação à doenças cardíacas, diabetes, etc. Além disso sofro com varizes, falta de fôlego, dores nas costas e outros incômodos do sobrepeso. Além do mais, todos sabemos que o sedentarismo prejudica a saúde. E esses são os meus motivos para ter iniciado meu projeto de emagrecimento: quero amarrar o cadarço do meu tênis e subir escadas sem ficar ofegante, quero fortalecer minha musculatura para minimizar as dores, quero aprender novamente a me alimentar de forma saudável para que no futuro eu não tenha problemas de saúde relacionados ao excesso de peso, etc. Jamais farei dietas malucas. Nunca pensei em emagrecer para que os outros parem de me ver como uma garota gordinha…
    Bom, desabafei aqui hehehe.
    Curti muito o blog e estou seguindo. Vou voltar sempre aqui!
    Beijos

  2. Não sou Exposição. Autor do post

    Esteja à vontade para reproduzir o post, Marcia! Fico contente que você tenha compreendido o significado de saúde. Sou estudante de Nutrição da UFPR, e fico absolutamente alarmada quando observo a força da mensagem (errônea) de que “emagrecer é ser feliz”. Um abraço!

  3. Marcia Baratto

    Olá, adorei o post! Faço parte de uma comunidade online de dieta e adoraria repetir este post (com os devidos créditos) por lá. Vejo que muitas mulheres estão mais preocupadas em entrar na calça 38 (sério, eu não entendo…) do que ter saúde! Eu comecei o programa por um motivo bem simples: sou hipertensa e meus níveis de colesterol estavam horrorosos… Como perdi os quatros avós por conta de cardiopatias, recebi essa tarefa difícil de alimentar melhor e controlar os níveis de açúcar, carboitrados e proteínas ingeridos diariamente. A comunidade é legal, as aulas são bem interessantes, mas eu vejo que poucas pessoas entendem realmente o que significa emagrecer ou, o mais importante: que você pode ter saúde mesmo que use a calça 48, e que comer bem não é ficar mais magro!

Os comentários estão desativados.