Seja assim, seja assado.

“Beleza” é uma palavra que soa aos nossos ouvidos como “trabalho“.

Porque para sermos belas, supostamente existem instruções para serem seguidas. Existe um esforço que deverá ser realizado. Existe uma dor que deverá ser suportada. Existe uma quantidade de dinheiro que deverá ser gasta.

De acordo com as mensagens publicitárias, beleza é uma coisa que o ser humano não tem. Ela deve ser conquistada, e ela existe NÃO em nós, e sim nos produtos que podem proporcioná-la para nós.

Seguem curiosas imagens de anúncios publicitários:

Na década de 60, nos diziam que:

“Se você deseja ser popular… você não pode ser magrinha!”

“Não seja magrinha. Experimente Wate-on e quem sabe você se torne a garota mais popular da cidade.”

“Se você está abaixo do peso, come mal e é magrinha experimente Wate-on, que aumenta peso e medidas.”

WateOn6(anúncio norte-americano do suplemento alimentar Wate-on”)

No entanto, em 2012 nos disseram que:

“Magrinha sempre atrai a atenção.”

“ZERO calorias. ZERO açúcar. ZERO carboidrato. ZERO culpa.”

Screenshot_21(Anúncio norte-americano do produto “skinny water”)

Creio que é cabível esclarecer que açúcares são carboidratos, portanto não há necessidade de dizer a mesma coisa duas vezes, queridos. Mas bem, creio que o objetivo central aqui é torturar mulheres, e não passar noções de Nutrição.

O ideal de “uma mulher bonita”: 

– muda ao longo dos anos.
– não tem lógica.
– não tem justificativa natural, genética, evolucionista e nem científica.
– é amplamente relacionado com interesses econômicos.
– está SEMPRE LONGE de nós.
– em geral corresponde ao que uma mulher “deve fazer”… para agradar os homens.
– vende a idéia de que se você não se enquadra…A culpa é sua. E isso deve ser corrigido.

Somos melhores do que isso!

Anúncios