A Fanfarronice do “Photoshop”.

Já sofríamos o suficiente quando nos diziam que tínhamos que ser iguais às modelos, atrizes, celebridades etc.

Agora, no século XXI, temos um recurso adicional à pressão que nos aplicam: um programa de computador que cria todas as possíveis ilusões de ótica que podem ser oferecidas aos olhos humanos: o “Photoshop”.

Eis alguns exemplos do mal uso desse recurso digital:

Alterações na imagem de Keira Knightley, no pôster promocional do filme “Rei Arthur”: os seios pequenos e não-proeminentes da atriz se justificam, pois a magreza modifica o tamanho e o formato das mamas, tornando-as até mesmo não aparentes.

“Photoshop” promove uma “cirurgia plástica digital”: mantém a magreza, porém sem afetar os seios fartos.

Aparentemente, a modelo estampada no anúncio da Ralph Lauren não era magra o suficiente, de modo que o “Photoshop” foi usado para alterar a imagem até proporções que desafiam a lógica.

Kate Winslet. Dispensa comentários. Após a publicação da revista, a atriz declarou em entrevista à GMTV:

“Não quero que as pessoas pensem que eu sou uma hipócrita, e que desapareci da vista do público com o objetivo de perder 20 quilos, coisa que eu jamais faria. E mais importante: eu não quero ter essa aparência.” 

A atriz reconhecidamente, e como poucas, resiste em adequar-se ao padrão que Hollywood exige.

A imagem de Beyoncé Knowles digitalmente modificada nos faz lembrar (como se não tivéssemos sido suficientemente avisadas) que a mulher “bonita” é: alta, magra, loira, longelínea…e BRANCA.

Kourtney Kardashian, sete dias após o parto, na capa da “OK Magazine”: além de explorar a imagem da criança recém-nascida e já expô-la aos recursos midiáticos (nem a mãozinha do pobre bebê escapou!), o “Photoshop” eliminou a barriga pós-parto. Ou seja, barriga não pode. Nem de grávida… (NOT OK).

A cabeça de Demi Moore foi flagrantemente substituída por outra, de uma modelo de passarela, na capa da revista “W”, em 2009.

Kimora Lee Simmons, em anúncio dos perfumes “baby phat” (!).

Já que estamos abandonando a seriedade, e nos aproximando da comédia… Encerro por aqui.

Lição do dia:

NÃO ACREDITE NO QUE OS OLHOS VÊEM.

Anúncios

2 ideias sobre “A Fanfarronice do “Photoshop”.

  1. paulo

    Trabalho com midia a alguns anos e o que vejo é algo simples. Devemos ressaltar as qualidades e esconder os “defeitos”. E hoje o que se tem como qualidade é uma mulher esbelta e de belas curvas, conceito este que particularmente nao gosto de utilizar em meus trabalhos, mas infelizmente é o que o mercado exige. Isso se deu graças as próprias mulheres, que em sua grande maioria, se agarram em sua beleza fisica ao inves de mostrar suas outras qualidades como inteligencia. Lamentavel isto

Os comentários estão desativados.