Sobre aprender dança na vida adulta

Hoje tirei uns momentos para escrever sobre algo que faz parte da minha vida há precisamente vinte anos: a dança.

Como alguns leitores sabem que eu faço dança (ballet clássico, sendo mais específica), às vezes recebo comentários de gente dizendo “eu gostaria muito de ter aprendido ballet, mas agora não tem como, eu sou velha demais” ou “eu gostaria muito de fazer ballet mas eu não tenho corpo adequado  para isso

Neste post eu vou falar sobre ballet clássico, mas creio que o conselho serve para: natação, atletismo, artesanato, pintura, desenho, canto lirico, vôlei, yôga, ciclismo, patinação, violão, violino, piano, inglês, mandarim, xadrez, bambolê et cetera.

Eis o conselho: você pode. Não só pode, mas deve, fazer o que te apetece. E não interessa a sua idade nem o seu grau de aptidão para a atividade.

Porque idade e limitações corporais não são impedimentos. Não quando você deseja ter um hobby ou finalmente aprender uma coisa que você sempre quis.

Deixando claro que: nenhum adulto amador vai fazer a prova do Bolshoi. Nem será contratado por compania de dança alguma. Não vai competir e a performance não vale medalha.

Estamos falando sobre: aprender ballet. E todo mundo tem direito de aprender!

Talvez você não seja: alta, magra, jovem, ágil, flexível, forte, carismática, artística e destemida. Ok. Isso está ok. Ninguém está procurando o mais novo talento para brilhar nos palcos do mundo. Se você tem um corpo, você pode sim dançar dentro das possibilidades que este seu corpo permite.

women-quote-by-Martha-Graham

(“Ninguém se importa se você não dança bem. Apenas levante e dance. Grandes dançarinos não são grandes por causa da técnica, mas por causa da sua paixão.” – Martha Graham)

Talvez o radinho na sua cabeça toque assim:
“Sou velha. Sou gorda. Sou travada. Sou desajeitada. Sou isso. Sou aquilo.”

Mas de verdade… Se você quiser… Quem é que irá te impedir? Quem tem direito de dizer que você não pode aprender? Ou que seu corpo não é bom ou belo o suficiente?

Oras bolas! Ninguém.

E assim afirmo, porque estou vivendo um momento assim.

Eu dancei o ballet clássico num padrão de treino muito rígido por 10 anos. Mas recentemente eu parei. Tinhas outras prioridades e para ser sincera, enjoei de histeria, rigidez, abuso emocional e manias perfeição.

Fiquei um ano afastada das atividades que eu fazia. Continuei dançando bem tranquilinha, duas vezes por semana, só para ter um hobby para chamar de meu.

Mas paixões que cravam no coração não podem ser apagadas. E não podem ser esquecidas. E não podem ser ignoradas. Meu estilo de dança favorito é o clássico. E meu coração bate em 8 tempos. E eu não vivo sem sapatilhas de ponta.

tumblr_miblhh8jpl1r4fi2qo1_500

(Posso fazer qualquer coisa quando estou de Tutu)

… Então eu decidi recomeçar. Mas agora é diferente.

Agora eu faço parte do grupo iniciante adulto.
Iniciante, porque estou recomeçando. E adulto porque já não tenho mais 16 anos e o meu corpo não tem mais aquela resposta muscular toda.

E existe também um detalhe que eu havia esquecido: ballet é tremendamente difícil. É de lascar. É uma coisa tão difícil que chega a ser cômica. Então fica o aviso: é uma atividade desafiadora que pode arrancar lágrimas e acarretar verdadeiras convulsões de frustração (com igual proporção de satisfação para cada desafio vencido, é claro!)


(#DRAMAS)

Sou uma adulta fraca e fora de forma. Não sou nenhuma princesa bailarina de 15 anos. Não quero ganhar concurso em lugar nenhum e nem ganhar salário. Não quero que platéias me aplaudam de pé e não quero impressionar ninguém. Eu apenas preciso dançar. Porque meu coração deseja. E meu corpo pede.

Pouco me importa o que o mundo tem para dizer sobre isso. Eu quero dançar ballet. Eu quero calçar minhas sapatilhas portanto, mundo, LIDE com isso.

images

                                          (Saia da frente e me deixe dançar!)

Se você sempre quis aprender ballet e acha que seu corpo ou sua idade configuram obstáculos, meu conselho é: Não acredite nisso. Seja realista e aprenda a apreciar as conquistas que você fizer dentro da sua realidade (idade, condições físicas, tempo de estudo…).

Dedique-se. Dedique-se. Dedique-se. Caia e levanta. Absorva as correções e aproveite o desafio para amadurecer, adquirir disciplina e, por que não, força e flexibilidade!

Vou finalizar com uma dica de Blog para quem se interessou sobre o tema:
http://dospassosdabailarina.wordpress.com/

Trata-se dos textos de uma moça que começou a dançar ballet clássico aos 27 anos. Eu passei a noite lendo alguns textos dela e confesso que o Blog me levou às lagrimas.

Enfim, queridos, se dedicar a sonhos antigos é possível sim! Basta decidir e ter coragem :)

tumblr_mdxqstyEIK1rihq7zo1_500(“Mire para a lua. Mesmo se você errar, aterrissará entre as estrelas” – Les Brown)